sábado, 21 de janeiro de 2017

O suicida vai pro céu?

suicidio

É sabido que o assunto suicídio perante a Bíblia e, mais precisamente sobre o tema, Perda da Salvação Eterna, é extremamente complexo.

 

Não podemos simplesmente achar que quem comete suicídio perde a Salvação Eterna. Fosse assim, o que seria da humanidade?

 

Vejam a lista dos que “ficariam” de fora:

 

A Bíblia a Palavra de Deus nos diz em 1 Coríntios capitulo 6-9-10:
”Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.”

 

Outra passagem, agora em Gálatas capitulo 5 versículo 19- :

“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.”

 

Mais uma passagem em Apocalipse capitulo 21 e versículo 8: 
Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.”


Quarta passagem  Apocalipse capitulo 22 versículo 14-15:
”Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.”

 

Muito bem! Você tem certeza que passa ileso dessa lista?

 

Queremos que o leitor faça uma pausa nesse momento e questione o que aconteceria se ele morresse nesse exato momento, se ele pensa que morreria livre de pecado. A resposta para essa pergunta é evidente: Não!

 

Ninguém morre sem pecado, porque não há nenhum instante em nossas vidas em que o ser humano está completamente livre do pecado.

 

Em cada momento de nossa existência há pecados em nossas vidas dos quais não estamos nem sequer apercebidos, e outros que nem conhecemos, mas que nesse momento não temos nos dirigido ao Pai para buscar seu perdão, simplesmente porque o consideramos um pecado menos grave, ou porque estamos esperando pelo momento apropriado para ir orar e pedir tal perdão.

 

A realidade sobre isso é que, quando Cristo morreu na cruz, ele pagou por nossos pecados passados, presentes e futuros, como já dissemos. Portanto, o mesmo sacrifício que cobre os pecados que permanecerão conosco até o momento de nossa morte é o que cobrirá um pecado como o suicídio.

 

A Palavra de Deus é clara em Romanos 8:38 e 39: “Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”.

 

Note que o texto diz que “nenhuma outra coisa criada”. Esta frase inclui o próprio crente. Notemos também que essa passagem fala que “nem as coisas do presente, nem do porvir”, fazendo referência às situações futuras que ainda não vivemos.

 

Por outro lado, João 10:27-29 nos fala que ninguém pode nos arrebatar da mão de nosso Pai, e Filipenses 1:6 diz que “aquele que começou a boa obra em vós, há de completá-la até o dia de Cristo Jesus”. Concluindo:

 

Se estabelecemos que o cristão é capaz de cometer qualquer pecado, por que não conceber que potencialmente ele poderá cometer o pecado do suicídio?

 

Se estabelecemos que o sangue de Cristo é capaz de perdoar todo pecado, ele não cobriria esse outro pecado?

 

Se o sacrifício na cruz nos tornou perfeitos para sempre, como diz o autor de Hebreus (7:28, 10:14), não seria isso suficiente para afirmarmos que nenhum pecado rouba a nossa salvação?

 

Se até Moisés chegou a desejar que Deus lhe tirasse a vida, devido à pressão que o povo exerceu sobre ele, não poderia um paciente esquizofrênico ou na condição de depressão extrema, que não tenha a força de caráter de um Moisés, atentar contra a sua própria vida de maneira definitiva?

 

Se não somos Deus e não temos nenhuma maneira de medir a conversão interior do ser humano, poderíamos afirmar categoricamente que alguém que deu testemunho de cristão durante sua vida, ao cometer suicídio, realmente não era um cristão?

 

Baseados na história bíblica e na experiência do povo de Deus poderíamos concluir que o suicídio entre crentes provavelmente é uma ocorrência extraordinariamente rara, devido à ação do Espírito Santo e aos meios de graça presentes no corpo de Cristo.

 

Pensamos que o suicídio é um pecado grave, porque atenta contra a vida humana. Mas já estabelecemos que um crente é capaz de eliminar a vida humana, como o fez Davi. Se eu posso fazer algo contra alguém, como não conceber que posso fazê-lo contra mim mesmo? Essa é a nossa posição.

 

Como podemos ver, não é tão fácil estabelecer uma posição categórica sobre o suicídio e a salvação. Tudo o que podemos fazer é raciocinar através de verdades teológicas claramente estabelecidas, a fim de chegar a uma provável conclusão sobre um fato não estabelecido de forma definitiva.

 

Portanto, quanto mais coerentemente teológico for nosso argumento, mais provável será a conclusão que chegaremos.

 

Agostinho tinha razão ao dizer: “Naquilo que é essencial, unidade; naquilo que é duvidoso, liberdade; e em todas as coisas, caridade”.

 

Pr. Miguel Núñez

Pb. João Placoná

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

O que o homem (mulher) deve fazer para ser salvo (a)?

Esta é uma pergunta que tem sido feita por muitas pessoas, muitos acreditam que fazer sacrifícios, penitências, cumprir rituais religiosos e outras coisas do gênero poderão garantir a salvação.

A Bíblia nos mostra que a salvação é pela graça de Deus, mediante a fé em Jesus Cristo.

Está fé está expressa em crermos que Jesus Cristo é o filho de Deus, que morreu na cruz em nosso lugar, que ressuscitou, vive e voltará em breve para nos levar para o céu.

O ato de aceitar Jesus como seu Senhor e Salvador lhe garantirá de imediato a salvação de sua alma e é o único caminho que temos para nos livrar da condenação do inferno e chegarmos ao céu.

Veja este vídeo do Pr. Reinaldo Ribeiro, deveras esclarecedor!

Pb. João Placoná

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Quem é Jesus na Bíblia?

Jesus

Jesus, em resposta à pergunta dos fariseus "Quem você pensa que é?" disse: "‘Abraão, pai de vocês, regozijou-se porque veria o meu dia; ele o viu e alegrou-se'. Os judeus perguntaram: 'Você ainda não tem cinquenta anos, e viu Abraão?' Jesus respondeu: ‘Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer, Eu Sou!’" 

Veja abaixo, Na Bíblia Sagrada, onde podemos encontrar JESUS!

Em Gênesis, Jesus é o Criador de todo o Universo, e a Semente da mulher, que derrotará o mal;
Em Êxodo, Jesus é o Cordeiro Pascal (da Páscoa israelita - comemoração da fuga do Egito);
Em Levítico, Jesus é o Sumo Sacerdote;
Em Números, Jesus é a Nuvem de dia, e a Coluna de Fogo à noite (guiava os Israelitas no deserto), e a Rocha Ferida por Moisés;
Em Deuteronômio, Jesus é o Profeta que há de vir;
Em Josué, Jesus é o Capitão da Salvação;
Em Juízes, Jesus é o Juiz, o Legislador e o Libertador;
Em Rute, Jesus é o Parente Resgatador (aquele que preza por nossas vidas, e nos resgata da tristeza e solidão);
Em Samuel, Reis e Crônicas, Jesus é o Rei que reina para todo o sempre;
Em Esdras e Neemias, Jesus é o Construtor e o Reconstrutor de nossas vidas (Nosso Restaurador);
Em Ester, Jesus é o nosso Advogado;
Em Jó, Jesus é a Paciência e o Redentor que Vive;
Em Salmos, Jesus é o Pastor, o Socorro e a Alegria;
Em Provérbios, Jesus é a Sabedoria de Deus;
Em Eclesiastes, Jesus é o Alvo Verdadeiro;
Em Cantares de Salomão, ou Cântico dos Cânticos, Jesus é o Noivo, o Esposo, o Amado de nossas Almas, a Rosa de Sarón, e o Lírio dos Campos;
Em Isaías, Jesus é o Messias e o Príncipe da Paz;
Em Jeremias e Lamentações, Jesus é o Renovo da Justiça, e o Profeta Lamentador;
Em Ezequiel, Jesus é o Filho do Homem;
Em Daniel, Jesus é o Quarto Homem na Fornalha (junto com Sadraque, Mesaque e Abdenego);
Em Oséias, Jesus é o Marido Fiel e o Orientador;
Em Joel, Jesus é o Restaurador Divino, Aquele que nos Batiza com Espírito Santo e com Fogo;
Em Amós, Jesus é o Divino Lavrador, Aquele que carrega o nosso fardo;
Em Obadias, Jesus é o nosso Salvador Poderoso;
Em Jonas, Jesus é o Perdão, a Ressurreição, a Vida, e o Missionário de Deus;
Em Miquéias, Jesus é o Mensageiro de Deus e a Testemunha Fiel;
Em Naum, Jesus é a Fortaleza e o Vingador dos Justos;
Em Habacuque, Jesus é o Deus da nossa Salvação, o Pregador do Evangelho (Evangelista);
Em Sofonias, Jesus é Salvador e Senhor Zeloso;
Em Ageu, Jesus é o Restaurador de Heranças, o Desejado de Todas as Nações;
Em Zacarias, Jesus é a Fonte Purificadora do Pecado e da Impureza Humana, o Renovo da Justiça;
Em Malaquias, Jesus é o Sol da Justiça;
Em Mateus, Jesus é a Fé, o Messias, e a Promessa Viva;
Em Marcos, Jesus é o Servo de Deus;
Em Lucas, Jesus é o Filho do Homem;
Em João, Jesus é Deus, o Filho do Deus Vivo;
Em Atos dos Apóstolos, Jesus é o Espírito Santo;
Em Romanos, Jesus é a Justiça, o Justificador;
Em Coríntios, Jesus é o Santificador, o Suficiente Senhor de nossas Vidas;
Em Gálatas, Jesus é o Libertador do Jugo da Lei;
Em Efésios, Jesus é Tudo em Todos (Nosso Senhor e Cristo);
Em Filipenses, Jesus é o Eterno Supridor, e a nossa Alegria;
Em Colossenses, Jesus é a Vida e a Plenitude de Deus;
Em Tessalonicenses, Jesus é o Rei, o Senhor que breve voltará para nos buscar;
Em Timóteo, Jesus é o Mestre, o Exemplo, o Mediador entre Deus e os Homens;
Em Tito, Jesus é o Modelo, e o nosso Pastor Fiel;
Em Filemom, Jesus é o nosso Amigo mais Íntimo;
Em Hebreus, Jesus é o Sangue da Aliança Eterna, o nosso Intercessor;
Em Tiago, Jesus é quem Cura, é o Modelo da Verdade;
Em I e II Pedro, Jesus é a nossa Força, a Pedra Angular da nossa Fé;
Em I, II e III João, Jesus é o Amor, o Caminho, a Verdade e a Vida;
Em Judas, Jesus é o Protetor e o Líder;
E em Apocalipse, Jesus é o Rei da Glória, o Cordeiro de Deus, o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores, o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Príncipe da Paz, o Todo-Poderoso, Aquele que Era, que É, e que Há de Vir, etc...

Ou seja, Ele está em todo o lugar e em todo o tempo!

Autor desconhecido

Pb. João Placoná

domingo, 18 de dezembro de 2016

É pecado consultar cartomante, adivinhadores e os mortos?

cartomantes e necromantes

Sim! 

Deus proibiu em Sua palavra que Seu povo consultasse quem quer que seja que fosse cartomante, adivinhador, agoureiro, necromante, etc.:

“Não procurareis os que consultam os mortos, nem os feiticeiros. Não os consulteis para não serdes contaminados por eles. Eu sou o Senhor vosso Deus.“ Levítico 19:31

Deus via a atitude de consultar essas pessoas como um pecado grave, chegando ao ponto de tratar esses atos como contaminação e prostituição (Deus chamava de prostituição, pois via isso como uma quebra da aliança que fez com o povo).

O povo de Deus deveria única e exclusivamente se guiar em suas vidas pela vontade de Deus expressa em Sua Palavra e através de Seus servos. Deus era a direção e não pessoas que supostamente consultavam astros ou espíritos de mortos: 

“Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará no meio de ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz estas coisas é abominável ao Senhor, e é por causa destas abominações que o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás para com o Senhor teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém, quanto a ti, o Senhor teu Deus não te permitiu tal coisa.” Deuteronômio 18:9-14

“Quando vos disserem: Consultai os que consultam os mortos e os feiticeiros, que sussurram e murmuram, respondei: Por acaso um povo não consultará o seu Deus? Em favor dos vivos se buscarão os mortos?” Isaías 8:19. 

Fica claro que Deus desaprovava a consulta a esse tipo de pessoa.

Muitas pessoas se perguntam por que Deus proibiu essas práticas? Fica bastante claro que essa proibição se dá porque essas coisas não procedem do próprio Deus.

Se não procedem de Deus procedem do inimigo de nossas almas, o diabo. Apesar da roupagem moderna de “magia branca” e outros nomes “bonitinhos” que dão a esse tipo de prática em nossos dias, tentando fazer delas algo natural e que é aprovado por Deus, fica claro que a Bíblia rejeita veementemente tais práticas.

No Novo Testamento vemos claramente uma jovem que “adivinhava” e algumas pessoas usavam isso como fonte de lucro.

A Bíblia declara claramente que esta jovem estava possessa e precisou ser liberta, ou seja, não existe menção de nada positivo a respeito dessas práticas nem no Antigo nem no Novo Testamento: 

“Aconteceu que, indo nós para o lugar de oração, nos saiu ao encontro uma jovem possessa de espírito adivinhador, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.” Atos 16:16.

As práticas de adivinhação, consulta a mortos, e coisas do gênero, sempre são mencionadas na Bíblia vinculadas a ação de espíritos malignos, daí a proibição categórica de Deus de que seus servos entrassem em contato com elas.

Na prática de consultas aos mortos, sempre existiram embustes, mistificações, mentiras, farsas e manifestações de demônios.

Assim, podemos concluir claramente que é proibido por Deus consultar cartomantes, adivinhadores, bruxos, quem consulta mortos e coisas do gênero, sendo um grave pecado diante de Deus consultar essas pessoas. E os que praticam essas coisas infelizmente estão longe de Deus e precisam de nossas orações.

Pb. André Sanchez

Pb. João Placoná

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Conheça-me um pouco mais…

Nossa visão é evangelística interdenominacional que objetiva dar cumprimento ao que Jesus disse em  Marcos 16.15,17,18. "Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura"..."Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome expelirão demônios"..."se impuserem as mãos sobre os enfermos, eles ficarão curados".

Nossa missão é colaborar com pastores, líderes cristãos, evangelistas, demais obreiros da Casa do Senhor bem como com os cristãos em geral para o desenvolvimento de competências, para  o exercício de boas práticas de gestão e pelo aprimoramento do conhecimento das Sagradas Escrituras.

Queremos ajudar nossos irmãos a crescerem na fé através de relacionamentos sadios, maduros e espirituais, baseados na Bíblia.

Queremos divulgar a necessidade da comunhão com Deus, através dos meios regularmente disponíveis.

Nosso anseio é ver cada crente sendo um verdadeiro ministro de Deus, um líder compromissado com a obra de evangelização e testemunha fiel de Jesus Cristo.

Deus me dá capacidade necessária para falar com eficiência, me concede habilidade, coragem e poder.

Deus me concede oportunidades de falar aos outros a respeito de Cristo.

Eu creio que a Palavra de Deus gera vida, cria a fé, produz mudanças, afugenta o diabo, realiza milagres, cura feridas, estanca a dor, edifica o caráter, transforma as circunstâncias, transmite alegria, supera a adversidade, derrota a tentação, infunde a esperança, libera  poder, limpa nossa mente, cria as coisas e nos garante um futuro eterno.

Deus é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo que pedimos ou pensamos.   Efésios  3.20.

ONDE ME ENCONTRAR:

MINISTÉRIO PB. JOÃO PLACONÁ

http://ministeriopbjoaoplacona.blogspot.com.br

PALAVRAS DE SABEDORIA

http://www.palavrasdesabedoria.com.br/

SITE ABENÇOADO

http://www.siteabencoado.com.br

PORTAL DAS BÊNÇÃOS

http://portaldasbencaos.blogspot.com.br

LOJA CRISTÃ

http://lojacrista.blogspot.com.br

INSTAGRAM

https://www.instagram.com/pb.joaoplacona/

FACEBOOK

https://www.facebook.com/Pb.JoaoPlacona

TWITTER

https://twitter.com/JoaoPlacona

E-MAIL

placona@uol.com.br

domingo, 4 de dezembro de 2016

Igreja Moderna

Igreja moderna

Já se passou o tempo em que o crente era um personagem conhecido de longe, não só pelo seu andar com a família, com a bíblia em baixo do braço e também pelo seu comportamento, dentro e fora da igreja.

 

Pessoas simples que procuravam se vestir de maneira discreta e geralmente não se misturavam com pessoas do mundão, além é claro, tementes a Deus por excelência.

 

Era comum encontrarmos nos bancos das igrejas o livrinho da harpa cristã contendo letras de músicas que realmente edificavam. Infelizmente, nos últimos 20 anos, houve uma transformação gigantesca e não foi pra melhor.

 

Hoje, a igreja evangélica está numa situação tão escandalosa que o testemunho pessoal já não mais importa. Ter uma conduta irrepreensível, ilibada e devotada é tido como algo obsoleto, uma postura de gente quadrada.

 

O crente moderno gosta de fazer o que o mundano faz: adere aos modismos e à sensualidade visual, gosta de ouvir músicas mundanas, veste-se sem pudor, tem a língua afiada para proferir torpezas, piadas sujas ou para exigir direitos.

 

A liturgia moderna sacraliza danças coreográficas e sensuais dentro da igreja e até mesmo pastores humoristas lotam igrejas e casas de espetáculos, trocando sua "pregação descolada" pela fortuna gerada na bilheteria, pois o que eles receberam de graça, de graça eles não dão.

 

O crente moderno não é mais um adorador - ele agora é cantor gospel.

 

Encontros de louvor são coisas do passado, agora crentes pulam, gritam e entram em êxtase em shows que não deixam nada a dever para o mundo.

 

O crente moderno profetiza e reivindica/determina para si o melhor desta terra, mas não aceita os deveres espirituais, morais e sociais da fé cristã – os quais são a única forma de diferenciar um cristão de um ímpio, interna e externamente.

 

Na verdade, ser evangélico hoje é uma mistura de tendências da moda, hedonismo, ativismo politiquista, crise ética, relativismo moral, sincretismo religioso e de uma rebeldia explícita.

 

A Igreja é um clube. O louvor é um show. O evangelho é uma curtição. “Revelações” são idolatradas. Bíblia, nem pensar.

 

Essa modificação no cenário evangélico reprimiu a influência do Santo Espírito. Não há muitas conversões com constrangimento e compulsão como houve em Atos.

 

Não há mais temor como existe nas Escrituras. O genuíno poder de Deus, seguido de milagres e maravilhas, deu lugar a uma encenação midiática, de feições teatrais flagrantes, cujo único fruto tem sido a perda da credibilidade cristã e o fornecimento de munição para as ideologias racionalistas e agnósticas.

 

Nunca foi tão fácil ser ateu e esse mérito é todo da "igreja moderna".

 

Certa vez um grande estadista brasileiro, Rui Barbosa, disse:

 

 “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”.

 

Eu diria, hoje em dia:

 

“De tanto ver triunfar as heresias nos sermões, de tanto ver prosperar a falta de respeito no púlpito através de danças e rodopios, de tanto ver crescer as promessas milionárias através da teologia da prosperidade e de uma pregação exacerbada dos dízimos e ofertas, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos pastores, bispos, apóstolos, principalmente com revelações e curas, o cristão evangélico chega a desanimar da sua congregação, a rir-se dos antigos corinhos, a ter vergonha de ser cristão e de continuar frequentando a Igreja”.

 

Mas, ainda temos uma boa notícia para propagar aqui. Há muitos joelhos que decididamente não se dobram aos baalins e mamons usurpadores do santuário cristão.

 

Louvamos a Deus por essas vidas e aqui as estimulamos a permanecerem firmes e distantes desse avassalador processo de secularização da Igreja.

 

O trigo conhece o seu papel de santidade no reino. Já o joio assume um compromisso que se limita a programações, decretos apostólicos e visões fajutas.

 

À Noiva de Cristo cabe pregar a Palavra e viver por ela. A maioria dos evangélicos esqueceu esse preceito e por esse motivo também será esquecida no tempo das bodas, infelizmente!

 

Portanto, peça ao Senhor que abra as portas de uma boa igreja onde você poderá receber uma boa Palavra e crescer na fé.

 

Pr. Reinaldo Ribeiro

Pb. João Placoná