quinta-feira, 24 de julho de 2014

Me tornei cristão, e agora?

Você que acabou de se converter ao aceitar Jesus como seu legítimo Salvador e não sabe o que fazer, assista a este vídeo:

Fique na paz do Senhor!

Pb. João Placoná – Bacharel em Teologia, Pregador da Palavra, Palestrante e Articulista.

Mudanças Necessárias? Só Deus pode realizá-las.

mudanca 2

“Toda boa dádiva e todo o dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstantes”. Tiago 1:17

Talvez em sua vida existam situações que requerem uma radical mudança, porém, você não sabe qual a atitude a tomar, tem olhado para todos os lados e parece que nada vai acontecer; a tristeza tem sido a sua aliada, aquela sensação de impotência tem dominado seu interior, a solidão tem  sido sua companheira.

Você tem pensado: Preciso achar uma saída, mas, parece que você está totalmente sozinho, todas as pessoas que deveriam lhe ajudar  desapareceram, a angustia tem sufocado a sua alma, as lagrimas  já não têm mais hora para ceder.

O que fazer?

Para todas as situações difíceis existe uma saída, para todo o labirinto há uma porta aberta, foi exatamente por isso que você entrou, então qual é a resposta?

A resposta é você parar, analisar como começou esta situação e pedir ajuda ao único que de fato pode lhe ajudar - Deus, pois Ele está te olhando de cima, conhece o caminho onde você se perdeu, sabe o atalho por onde você se desviou.

“Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres”. Apocalipse 2:5.

Certamente algo aconteceu em sua vida para lhe suceder este fato, “Lembra-te agora qual é o inocente que jamais pereceu? E onde foram os sinceros destruídos?” Jó 4:7, e, como já aconteceu, você não tem mais como remediar.

Agora tem que ir ao medico, tem que pagar o preço, tem que procurar a cura, ficar se lamentando não irá trazer solução. Ficar chorando pelos cantos não fará mudanças positivas, culpar os outros? Não irá resolver.

Você precisa encontrar forças, mesmo que você pense que não as tenha. A resposta para você está centrada no profundo do teu ser, você só precisa chamar por ela, puxá-la de dentro de você e trazê-la para fora, essa força que te falo é Jesus, Ele é o ar que você respira.

Você é parte Dele andando aqui na terra. “Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus, e os estendeu, e espraiou a terra, e a tudo quanto produz; que dá a respiração ao povo que nela está, e o espírito aos que andam nela”. Isaías 42:5, entenda que, o teu espírito veio de Deus, Ele é o teu ser mais real e mais intenso, logo, a resposta para todas as áreas da tua vida está em Deus.

Não vai mudar nada se você continuar na mesmice, não haverá modificação se você não tomar uma atitude.

É você que tem que dar um ponto final nessa situação ruim; o problema aconteceu porque você existe, certamente acabará quando você decidir mudar.

Olhe bem dentro de você, as coisas que você fez até hoje, resolveu alguma coisa? Houve alguma diferença?

Está na hora de você rever os teus conceitos de vida, reaprender os ensinamentos daquele que tudo sabe, Deus. “Conhecidas são a Deus, desde o princípio do mundo, todas as suas obras”. Atos 15:18.

Se há alguma coisa em teu coração que lhe diz que não há mais jeito, não acredite. “Sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas”. 1 João 3:20.

Deus pode mudar tudo por dentro e por fora de você, basta você crer.

“Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?” João 11:40.

Então creia, busque a presença Dele, conte para Ele os teus problemas e aflições, lance-se aos seus pés, Ele irá te colocar de pé mais uma vez, irá te restituir aquilo que te foi tirado, te devolver os sonhos perdidos, te fazer um vencedor.

“O seu começo parecerá modesto, mas o seu futuro será de grande prosperidade”. Jó 8:7.

Para a tua vida há saída e essa saída é Jesus, clame o nome Dele, Ele irá mudar a tua historia.

Creia, o melhor de Deus já foi derramado em tua direção, esteja preparado para recebê-lo..

Pastora Elza Carvalho

Pb. João Placoná

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Isto é Bíblico?

Está na Biblia

A resposta mais fácil pode ser a seguinte: “Se algo está na Bíblia, então é bíblico.” Mas isso significa que a poligamia, a escravidão e genocídio se encaixam nessa definição.

Outra abordagem é dizer que uma ideia ou prática é bíblica se condiz com os valores e com a natureza da Bíblia.

Provavelmente, essa é uma resposta mais significativa. Mas também apresenta seus próprios problemas.

Como podemos ter certeza de que estamos pensando e agindo de forma a expressar a essência e os propósitos da Escritura?

Vejamos, então, se podemos ter uma ideia do que seria preciso para sermos cada vez mais bíblicos enquanto tomamos cuidado para lembrar que ainda não chegamos a esse resultado.

Muitos de nós sabemos o quando é importante interpretar as palavras da Bíblia dentro de seu próprio contexto. Porém, pode ser até mais importante pensar sobre a contribuição de cada versículo da Bíblia para a história como um todo, a qual, por sua vez, dá significado a cada versículo.

Do Livro de Gênesis ao Livro de Apocalipse, os 66 livros da Bíblia são mais do que uma coleção de história religiosa, leis morais, provérbios, poesia e profecias.

Por detrás de cada palavra e de cada frase, há uma grande história de amor que dá coerência aos detalhes de um texto inspirado.

Esse grande drama em desdobramento passa da (1) maravilha da criação ao (2) desastre da rebelião humana a um (3) resgate histórico e, então, finalmente, a um (4) futuro dia da ressurreição, da prestação de contas e da restauração.

Neste enredo, há milagres, realismo, salvamento dos nossos piores problemas e uma esperança que está presente nos relacionamentos para os quais fomos criados.

De Moisés a Jesus, a Bíblia conta a história de um Criador que, por fim, revela-se como o Filho que deseja que conheçamos Seu Pai, e como um Pai que deseja que conheçamos Seu Filho. O Filho continua a dizer que, no fundo, Ele é exatamente igual a Seu Pai, que Seu Pai é exatamente como Ele.

As implicações desse relacionamento Pai-Filho foram abordadas na última ceia de Páscoa que Jesus realizou com os discípulos. Depois de ouvir por acaso seus amigos debatendo sobre qual deles seria o maior (Lc 22:24-26), Jesus levantou-se da mesa, pegou uma bacia com água e uma toalha e começou a lavar os pés de cada um (Jo 13:3-5). Então, perguntou: “Pois qual é o maior: quem está à mesa ou quem serve? Porventura, não é quem está à mesa? Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve” (Lc 22:27).

Ao se ajoelhar para lavar os pés dos discípulos, Ele nos deu uma imagem clara de até onde Ele o Pai estavam dispostos a ir para mudar o nosso coração e os nossos relacionamentos.

Na mesma noite em que Jesus ouviu por acaso seus discípulos discutindo, ele lavou os pés deles e, depois, permitiu que ouvissem falar com Seu Pai.

Os discípulos de Jesus o ouviram orar não apenas por eles, mas também por todos os que viessem a crer nEle por meio do testemunho de seus discípulos (Jo 17:20).

Eles o ouviram orar da seguinte maneira: “...a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste” (Jo 17:21).

Em seguida, Jesus pediu ao Pai que deixasse os que cressem nEle viver de tal forma que outras pessoas pudessem ver que Deus Pai as ama também assim como ama Seu Filho (Jo 17:23).

Poucas horas depois, o Filho de Deus nos deu o exemplo mais importante do quanto ele e o Seu Pai nos amam.

Ele se deixou ser sacrificado entre dois ladrões – para nossos pecados, em nosso lugar.

Em nenhum outro lugar o amor do Pai tem mais destaque e foco do que no sofrimento que o Filho se dispôs a suportar por nós. Mesmo assim, a história não acaba nesse ponto.

Após a ressurreição e a dramática volta de Jesus ao Seu Pai, seus discípulos continuaram a aprender o que significava ser fiel à história bíblica que estavam vivendo então.

Mesmo na ausência de Jesus, eles perceberam que não estavam sozinhos e começaram a descobrir, por conta própria, o que significava servir o próximo como o Senhor os havia servido. No Espírito e no poder que o Mestre tinha prometido, eles demonstraram coragem de amar de muitas maneiras que foram além do que era natural para eles.

Embora permanecessem bem distantes da perfeição, desenvolviam uma preocupação com o próximo que não estivera presente na noite que discutiram sobre quem seria o maior.

Mais de 2000 anos depois, um patriarca da igreja, de nome Tertuliano, escreveu sobre o que acreditava ser a evidência convincente da fé cristã. Ele se referiu às palavras que não cristãos disseram sobre os seguidores de Jesus: “Vejam como eles amam uns aos outros (Apologia 3.7, escrita no ano 197, a obra mais importante desse patriarca)”.

Finalizemos com esta oração:

“Pai celestial, perdoa-nos se chamamos de bíblico algo que não reflete a Tua essência e a Tua história, por favor, ajuda-nos hoje a cuidar dos outros de uma maneira que lhes permita ver Teu Filho em nós e a te ver nele. Oramos em nome de Jesus!”.

Mart DeHaan

Pb. João Placoná

quinta-feira, 17 de julho de 2014

A Teologia da Prosperidade

Vejam e reflitam sobre este vídeo onde o autor chama os pregadores de CAFETÕES DA PROSPERIDADE.



quarta-feira, 9 de julho de 2014

Diferença entre Tribulação e Grande Tribulação

tribulaçao

A palavra tribulação significa: aflição, amargura, adversidade, trabalho, ou seja, são aqueles problemas que todo o mundo tem, é muito comum em alguém “Eu estou atribulado”, “estou passando por uma tribulação”, porém isto não passa de momentos maus que acontecem na vida de cada ser humano.

Quem nunca passou por problemas na família, na escola, no trabalho, financeiro, no ministério da igreja, etc. Jesus ensinou no Seu evangelho que passaríamos por aflições (Jo 16.33).

A Bíblia diz que a Igreja aqui neste mundo passará por aflições, provas, tribulações. São adversidades que enfrentamos contra o inimigo de nossas almas (Satanás).

Pois estas adversidades são formas que Deus usa para corrigir o seu povo nesta terra. O apóstolo Paulo fala da tribulação do tempo presente (Rm 8.18), isto porque se refere aos momentos difíceis do dia-a-dia.

Paulo é bem claro para ninguém confundir Tribulação com Grande Tribulação.

Isto tudo são tribulações (aflição, amargura, adversidade, trabalho, doenças), porém nada comparado com a GRANDE TRIBULAÇÃO, que será um período onde a ira (juízos) de Deus serão derramados sobre a terra o qual nunca houve antes, e nem haverá em outro tempo (Mt 24.31). Esta Grande Tribulação virá sobre os moradores da terra que ficarem após o arrebatamento da Igreja.

A palavra profética tem predito que virá uma Grande Tribulação sobre a face da terra. O próprio Jesus falou muitas vezes sobre isto (Mt 24.31; Mc 13.4-9).

O profeta Daniel chamou aquele tempo de “um tempo de angústia” (Dn 12.1).

Será um tempo como nunca houve no universo.

Em Lucas 21.25-26, lemos a respeito da angústia das nações, e como os homens desmaiarão de terror.

Em Sofonias 1.14-18, o profeta fala sobre as densas trevas que dominarão o tempo.

Pois bem! O que você prefere: Ficar reclamando das suas pequenas aflições e passar pela grande tribulação, ou aceitar a Jesus como seu legítimo Salvador e dar um drible na Grande tribulação?

Corra! Ainda há tempo!

Pr. Elias Ribas

Pb. João Placoná

tribulaçao

domingo, 6 de julho de 2014

Fé, a Alavanca que me faz Vencedor

Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé. 1 Timóteo 1:19

O que faz forte um ser humano?

Quando vejo uma pessoa batalhadora, que foi capaz de superar diversos obstáculos, uma pessoa que não se deu por vencida quando tudo e todos já tinham sentenciado a sua derrota, meu coração muito se alegra, porque vejo alguém que sabendo ou não, tomou posse de uma das características de Deus - Guerreiro.

Toda pessoa, tem uma força dentro de si, que nem ela mesma imagina que têm, o problema é que muitos são covardes, preguiçosos, vivem de ilusão, desistem fácilmente querem tudo sem lutar, consequentemente, nada têm.

Existe dentro do nosso ser uma força de superação diferençável de qualquer outra espécie vivente. O ser humano é dotado de um poder indestrutível, mas isto não se aplica ao corpo mortal; isto se aplica a inteligência, a consciência, o raciocínio, a sabedoria que possuímos.

Porque digo isto? Por um simples fato: Nossa inteligência veio de alguém que jamais pode ser destruído, Deus. Quem pôs a sabedoria no íntimo, ou quem deu à mente o entendimento? Jó 38:36

Existe na alma humana um entendimento que veio direto do próprio Deus. Na verdade, há um espírito no homem, e a inspiração do Todo Poderoso o faz entendido. Jó 32:8, então, se o nosso espírito pode nos levar a entender os mistérios de Deus, o que não conseguiremos realizar se acreditarmos em Deus e fizermos Dele o nosso braço forte?

Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus. Lucas 18:27, Qual será o empecilho para nos deter, se a sabedoria que irá agir através de nós vier do Senhor e Criador de todas as coisas?

Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo espírito da sua boca. Salmos 33:6.

A questão é... Em quem cremos, ou, quem controla a nossa mente?. Se for Deus nosso condutor, tudo podemos conquistar. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. Filipenses 4:13

Por pior que pareça ser o problema que estamos a atravessar, ainda que, a angústia esteja sufocante, existe sim, uma saída; a prevenção nessa hora é manter a calma, pois, o desespero aprisiona a mente em uma escuridão muito forte e talvez a situação não seja tão ordinária quanto parece ser. Mas, quando se perde o controle, ela se torna um monstro gigantesco, logo, tudo a nossa volta parecer ser noite, escuridão.

Se conseguirmos controlar a nossa ansiedade, certamente, veremos uma trilha que nos levará até o clarão do dia.

Há um mistério na vida humana, nossa mente é um turbilhão, onde estão armazenadas riquezas incalculáveis que ficam saltitantes 24 horas por dia; aquilo que tem o poder para nos fazer forte está enraizado no mais profundo do nosso ser, guardando o mistério da fé numa consciência pura. 1 Timóteo 3:9, e, se usarmos nossa inteligência para absorver isto, veremos que, existimos porque algo mais forte do que tudo ao nosso redor vive em nós - isto é, Deus!

Por isso que, independente de religião, muitos conseguem alavancar na vida de tamanha forma que deixa seus nomes escritos na historia. Essas pessoas acreditaram que eram capazes, por isso elas conseguiram, e, é exatamente esta certeza que chamamos de fé, elas creram. Assim isso lhe foi também imputado como justiça. Romanos 4:22

A fé é o canal pelo qual podemos fazer existir aquilo que ainda não vemos, Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem. Hebreus 11:1.

Fé é aquele grãozinho que é gerado dentro de nós que nos dá a certeza que vamos vencer, e que, tudo será apenas uma questão de saber esperá-lo germinar. Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. Tiago 1:3

Se a certeza que somos capazes pode nos conduzir a grandes vitórias, imagine essa certeza aliada a força suprema da criação que é Deus? Ou se seja, se você usar sua capacidade na direção certa você pode superar quaisquer obstáculo à sua frente, pois a sua fé estará entrelaçada com a sabedoria de Deus. Você em sintonia com Deus nada poderá te vencer, porque a Deus ninguém vence!

Quando você de fato acreditar neste Deus que de tão grande fez do supremo Céu o seu trono, mas que, de forma gloriosa se fez tão minúsculo ao ponto de caber dentro de nós, nada poderá te destruir.

Apenas acredite Nele e você verá o que Ele fará por você.

Pastora Elza Carvalho

Pb. João Placoná

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Você é um Apóstata?

O apóstata é um indivíduo que ouviu as verdades magníficas acerca da fé cristã, se converteu intelectualmente de que Jesus é o Cristo e chegou a professar o cristianismo, mas nunca foi verdadeiramente salvo.

Ele pode ser batizado e participar plenamente de todos os privilégios de uma congregação, mas depois de algum tempo toma a decisão afrontosa de abandonar a fé e negar o Salvador.

Nega a divindade de Cristo, sua obra redentora no Calvário, sua ressurreição física ou outras doutrinas fundamentais.

Na realidade não se trata de abandonar a fé, pois o apóstata nunca foi verdadeiramente convertido. Ele não vê nenhum problema em rejeitar deliberadamente o único caminho oferecido por Deus para a salvação. É endurecido na incredulidade e obstinado na oposição ao nosso Deus.

No entanto, apostasia não consiste apenas em negar o Salvador. Pedro, um verdadeiro cristão, cedeu sob a pressão de uma crise e negou Jesus. Ainda assim, amava ao Senhor verdadeiramente e demonstrou que sua fé era real por meio do arrependimento e da restauração subsequentes.

Judas Iscariotes era apóstata, professava ser discípulo, por conviver cerca de três anos com Jesus, chegou até a servir como tesoureiro do grupo, mas, por fim, revelou sua verdadeira natureza ao trair o Senhor por trinta moedas de prata.

Apostasia é um pecado que conduz à morte e está além das responsabilidades de oração do cristão ( I Jo 5:16b).

É praticamente impossível restaurar um apóstata por meio do arrependimento, uma vez que ele crucifica para si mesmo o Filho de Deus e o expõe à desonra, infâmia. (Hb 6:6)

Os que são apóstatas da fé cristã estão tão insensíveis e são tão arrogantes que nem sequer pensam nesse problema. Não temem a Deus ou o Seu castigo.

É importante notar que a marca do "cristão" infectado com o "vírus maligno da apostasia" é ser facilmente "levado para todos os lados", buscando alguma doutrina nova, diferente, e espetacular. Seus ouvidos estão sempre comichando para ouvir algo "novo", e sensacional, algo que o entretenha, algo agradável à carne. Contudo, a Bíblia adverte: "Não vos deixeis levar por doutrinas várias e estranhas..." (Hb 13.9). Não se deixe conduzir de lá para cá, de um lado para o outro, "... porque bom é que o coração se fortifique com a graça" (Hb 13.9).

Se continuarmos a pecar deliberadamente depois que recebemos o conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados, mas tão somente uma terrível expectativa de juízo e de fogo intenso que consumirá os inimigos de Deus. Hb 10:26-27.

Quando somos jogados para escanteio devido ao pecado, o caminho para o retorno é a confissão. “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça ( I Jo 1:9).

Agora, não é o fato de eventualmente cairmos em pecado que irá significar que nunca fomos salvos.

A evidência da nossa salvação está no voltar a se levantar, pois aquele que tem o Espírito de Cristo já é Dele (Rm 8:9) e sua consciência não o deixará tranquilo enquanto estiver prostrado.

A diferença entre o perdido e o salvo não está em este último ser incapaz de pecar, mas em ser capaz de confessar o seu pecado e voltar à comunhão com Deus.

O incrédulo, quando peca, não liga nem um pouco por ter ofendido a Deus e segue despreocupadamente em seu caminho de incredulidade.

Portanto, o verdadeiro salvo não se moverá "da esperança do evangelho" que é, em sua essência, a graça ou favor imerecido de Deus para com o pecador.

Ele pode perder sua comunhão com Deus e viver miseravelmente até recuperá-la, mas não perderá sua salvação que é eterna e foi dada gratuitamente por Deus, "porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento" (Rm 11:29).

Dependemos por completo daquele que se entregou por nós para que sejamos capazes de nos recuperarmos de nossos fracassos espirituais. E isso nos dá esperança.

Cristo, que morreu por nós, nos ama com amor eterno e responderá com graças quando confessarmos nossas falhas a Ele.

Por meio da confissão encontramos Sua graciosa restauração – o maior de todos os retornos.

A confissão é o caminho que nos leva à restauração.

William Macdonald

Mario Persona

Pb. João Placoná