segunda-feira, 3 de agosto de 2015

A Bíblia – Usos e Abusos

Este áudio do Pr. Paulo Romeiro, da Igreja Cristã da Trindade - SP, procura de forma bem clara alertar os fiéis sobre os perigos que estão correndo com esses falsos profetas que deixam de lado a verdadeira Palavra e praticam pregações que o povo quer ouvir, principalmente no que tange a prosperidade. Se o pastor se espelha nas Escrituras Sagradas, a igreja que ele pastoreia irá refletir esta mesma imagem. Mas o que temos visto por aí nesses últimos anos é uma total descrença no ministério pastoral, pois muitos não estão refletindo a imagem de Cristo. Os pastores estão deixando de ser aquilo que pregam. Muitos estão mais envolvidos com as coisas dessa terra do que com o seu chamado.

domingo, 26 de julho de 2015

Podemos perder o Espírito Santo?

Jamais! Se a salvação e o Espírito Santo tivessem sido conquistados pelo crente, por sua fidelidade, boas obras ou esforço próprio, então obviamente ele poderia perder tanto a salvação quanto o Espírito Santo.

Mas, quando entendemos que nossa salvação começou muito antes de nossa existência, ou melhor, antes até da existência do mundo, e que o selo do Espírito nos foi dado por Deus como garantia dessa obra que Ele executa em nós, então não há o menor risco de um crente em Jesus perder o Espírito Santo ou a salvação.


segunda-feira, 20 de julho de 2015

Lutando contra vozes interiores e exteriores

Em nossa luta contra vozes interiores e exteriores, precisamos reconhecer quatro verdades importantes:

Primeiro – Temos que permitir que as palavras que ouvimos das outras pessoas sejam filtradas pelas Escrituras, que indica quais pensamentos que devemos internalizar.

“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.” Filipenses4:8.

As críticas construtivas têm o seu lugar, mas as acusações de fracasso e inadequação não o têm. Quando ouvimos o que os outros dizem sobre nós e sobre si mesmos, precisamos determinar se a repetição desses comentários vai fortalecer ou abalar o nosso entendimento de quem somos em Cristo.

Segundo – Precisamos mudar a maneira que falamos sobre nós mesmos. Quando nos ridicularizamos, amaldiçoamos a criação divina. Essencialmente dizemos a Deus: “Eu sei que o Senhor chamou isso de bom, mas não creio que seja bom o suficiente.”

Como podemos afirmar que louvamos e adoramos a Deus e com a mesma boca amaldiçoar a Sua criação?

As Escrituras dizem: “As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença. Senhor, rocha minha e redentor meu!” Salmo 19:14 e Jesus ensinou: “...porque a boca fala do que está cheio o coração” Lucas 6:45.

Palavras que denigrem revelam um problema de coração. Nosso coração está ouvindo aquele que tira a vida e não o Doador da vida.

Terceiro – Precisamos aprender a identificar as palavras ditas por aquele que procura destruir a nossa alma. Satanás é mentiroso. Sabemos que ele vem somente para “...roubar, matar e destruir...” João 10:10.

O engano está na essência do seu ser e, portanto, tudo que ele diz não contém a verdade. Podemos identificar as suas palavras quando as escutamos – ele fala palavras de rejeição, ódio, fracasso e insatisfação.

“Eu jamais vou alcançar esse padrão.”

“Eu jamais serei bonita.”

“Eu sou a soma dos meus fracassos.”

“Se eu fosse mais magra, seria mais feliz.”

“Não sou boa em nada.”

“Se eu tivesse roupas novas, estaria satisfeita com a minha aparência.”

“Eu estou tão gorda.”

Tudo mentira. Palavras de morte, não de vida. Se ele (Satanás) conseguir nos convencer de que não temos valor, ele poderá nos imobilizar e nos impedir de cumprir o plano de Deus para a nossa vida.

Com medo de rejeição, não nos aproximaremos dos outros. Vamos chafurdar na autopunição e por causa do medo de falhar, não correremos atrás dos nossos sonhos. Vamos nos afundar na insatisfação.

O apelo das vozes ressoa em nossa mente, enquanto corajosamente estampamos sorrisos em nossa face.

Silenciosamente, dizemos para nós mesmas que devemos viver com as vozes, fingir que estamos em paz e temos a autoconfiança que tanto ansiamos e que escorre pelos nossos dedos com cada palavra de autodepreciação. E então as vozes se tornam mais malévolas.

“Se Deus realmente se importasse, Ele não faria com que você tivesse esta aparência.”

“Se você não conseguir acreditar que Deus a ama do jeito que é, o Seu amor não deve ser verdadeiro.”

“Se você fosse realmente espiritual, não estaria lutando para gostar de si mesma.”

Mentiras. Tudo mentira. Quando as chamamos pelo que realmente são, elas perdem o seu poder e a verdade se torna mais clara.

Por último – Precisamos ouvir o que Deus tem a dizer sobre nós.

Antes da fundação do mundo eu te conhecia. Sabia de que cor seriam os teus olhos, e podia ouvir o som da tua risada.

Como um pai orgulhoso que carrega a fotografia da filha, eu carreguei a tua imagem em Meus olhos, pois tu foste criada à minha imagem.

Antes da fundação do mundo, eu te escolhi. Declarei o teu nome nos céus e sorri enquanto a melodia ecoava nas paredes do Meu coração.

Tu és Minha. O Meu amor por ti se estende mais longe que as estrelas no céu e é mais profundo que qualquer oceano. Tu és Minha pérola de grande valor, aquela por quem eu dei tudo.

Eu te embalo na palma da Minha mão. Eu te amo mesmo diante dos teus fracassos. Nada do que dizes ou fazes pode me fazer deixar de te amar. Eu sou incansável na Minha busca por ti. Fuja de mim – Eu te amarei. Despreze-me – eu te amarei.

Percebes o meu amor por ti foi violentamente assassinado antes da fundação do mundo e jamais me arrependi do sacrifício que fiz por ti no Calvário.

Quando vejo cada parte do que tu és, fico maravilhado com a obra das minhas mãos, pois sussurrei palavras de anseio e desejo e vieste à existência. Tu és bela e Eu me comprazo em ti – corpo, alma e coração.

Tu és o Meu desejo. Quando viras o rosto envergonhada e desprezas o que fiz, ainda assim Eu te alcanço com uma paixão suave. Tu és minha amada e Eu sou teu.

(baseado em I João 3:2, Isaías 43:1, Mateus 13:46, Efésios 1:4, Apocalipse 13:8, Salmo 149:4,Cantares 6:3; 7:10).

Deus anseia para que conheçamos a Sua beleza, mas precisamos escolher como reagir às vozes que ouvimos.

Ouvir a voz de Deus acima das injúrias destrutivas é uma batalha constante.

Pode ser que jamais silenciemos as vozes, porém podemos escolher se elas definirão ou não quem somos.

Deus continua esperando para nos guiar numa jornada para conhecer a verdadeira beleza, uma jornada que começa escutando cuidadosamente o Seu coração e nos contemplando no espelho de Sua Palavra.

Regina Franklin

Pb. João Placoná

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Apresentação dos Sites

As imagens e os sites que serão apresentados foram desenvolvidos com o objetivo único de levar a Palavra de Deus aos quatro cantos da terra. Sabemos que o moderno meio de comunicação – Internet – quando usado de forma ética e regular atua como uma ferramenta poderosíssima e de grande utilidade. Nossa missão é colaborar com pastores, líderes cristãos, evangelistas, demais obreiros da Casa do Senhor e para os cristãos em geral para o desenvolvimento de competências, para o exercício de boas práticas de gestão e pelo aprimoramento do conhecimento das Sagradas Escrituras.

Apresentação dos Sites from Pb. João Placoná on Vimeo.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Quando a oração resolve

"Ora que melhora" ou "Vamos orar"? 

Pois bem meus amigos, falaremos um pouco sobre o poder da oração e os seus efeitos.

De certa forma, a maioria das pessoas acreditam que a oração é o meio de comunicação para as coisas espirituais, uma linha de acesso para alguma divindade, então, de essencial importância mas por vezes não utilizada. E por quê?

Creio que a resposta número um deve ser por frustração. Sim, frustração.

Principalmente por já ter praticado quando preciso e aparentemente não ter funcionado.

Em outros casos, a falta de paciência na espera ou por se sentir ridicularizado por acreditar que alguma coisa poderia dar certo apenas com uma simples oração.

Eu costumo dizer em minhas palestras que Deus ouve a todas as orações:

Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações; Mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal. (1Pedro 3: 12) mas o atender não é o mesmo: Pedis, e não recebeis, porque pedis mal. (Tiago 4: 3)

Agora, você pode estar se perguntando:

Qual a maneira correta de orar pedindo alguma coisa e ser atendido?

Tenho para mim que a oração é como uma petição, uma causa na justiça que uma vez levada ao juiz será analisada e depois será dado o veredito, mas é importantíssimo que seja bem redigida, que os objetivos sejam claros, que os detalhes não sejam esquecidos, que a formalização daquela petição tenha fundamento sólido e de preferência possua um bom advogado.

Pois bem, para quem é cristão e acredita em Deus, sabe que temos o melhor: O nosso advogado é o nosso Senhor Jesus Cristo:

Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.(1 João 2: 1)

O mesmo que justifica os nossos erros, é aquele que advoga a nossas petições.

Então é preciso acreditar que este Advogado é excelente, acatar as suas orientações e depender da sua promessa: E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. (Salmos 37: 6)

Que esta Palavra te ajude a compreender que você não está sozinho e que todas as tuas petições em nome de Jesus, o filho de Deus, sejam atendidas.

Bispo Miro Pereira

Pb. João Placoná

Quantos caminhos levam a Deus?

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” (Atos 4:12)

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Estou sofrendo por estar desobedecendo?

Nem sempre. Evidentemente Deus disciplina a seus filhos que ama, mas Ele pode muito bem usar das tribulações para nosso aprendizado ou das pessoas que nos cercam, independente do modo como estamos andando. Muitos servos fiéis sofrem doenças, pobreza, rejeição e perseguição porque Deus assim permite (como aconteceu com Jó) para ensinar algo a eles ou a outros (até hoje aprendemos com o sofrimento de Jó).