sexta-feira, 17 de abril de 2015

Perda da Salvação, Heresia ou Verdade Bíblica?

Deus não escolhe ninguém para ser salvo e nem para a perdição.

Sendo assim, o homem é livre para ambos.

 

Pb. João Placoná

sábado, 11 de abril de 2015

Como citar os versículos bíblicos

ler a bíblia

Citar corretamente os versículos bíblicos e entender as citações é muito importante no estudo da Escritura Sagrada.

É muito comum encontrar publicações (livros, revistas, artigos...) recheados de citações em suas diversas formas.

Um dos formatos mais usados é escrito da seguinte maneira:

  • Os dois pontos (:) separam o capítulo dos versículos;
  • O hífen (-) indica uma sequência contínua de capítulos ou de versículos;
  • A vírgula (,) indica uma seqüência não contínua de versículos;
  • O ponto-e-vírgula (;) indica um novo capítulo do mesmo livro ou de outro livro caso seguido de nova abreviação.

Exemplos:

  • Rm 11:18 = Carta aos Romanos, capítulo 11, versículo 18.
  • Gn 3:1-15 = Livro de Gênesis, capítulo 3, versículos 1 a 15.
  • 2 Ts 2:2-12 = Segunda Carta aos Tessalonicenses, capítulo 2, versículos 2 a 12.
  • Dn 9:25,27; 11:3-43 = Livro de Daniel, capítulo 9, versículos 25 e 27; capítulo 11, versículos 3 a 43.
  • Mt 24-26; Ap 1:1-8 = Evangelho de Mateus, capítulos 24 a 26; Apocalipse, capítulo 1, versículos 1 a 8.

Também é comum o uso do “s” e do “ss” após o número do capítulo e/ou versículo (“s” significa seguinte e “ss”, seguintes). São usados para citar, respectivamente, dois ou três capítulos e/ou versículos.

Exemplos:

  • Rm 2:5s = Carta aos Romanos, capítulo 2, versículos 5 e 6 (isto é, versículo 5 e seguinte);
  • Tg 1s = Carta de Tiago, capítulos 1 e 2 (isto é, capítulo 1 e seguinte);
  • Ap 6:7ss = Livro do Apocalipse, capítulo 6, versículos de 7 a 9 (isto é, versículo 7 e dois seguintes).

Com todas essas abreviações e sinais podemos montar e citar, de forma bem resumida, qualquer passagem bíblica.

Exemplo:

  • Lv 1:12-15, 20; 3:2s; Mc 1:3ss, 10; 2 Cor 3-5.

Significa, respectivamente:

  • Livro de Levítico, capítulo 1, versículos de 12 a 15 e versículo 20; no mesmo Livro de Levítico, capítulo 3, versículos 2 e 3;
  • Evangelho de Marcos, capítulo 1, versículos de 3 a 5 e versículo 10;
  • Segunda Carta aos Coríntios, capítulos de 3 a 5.

Tabela de abreviatura dos livros e quantidade de capítulos:

 

Antigo Testamento

Livro

Abreviatura

Capítulos

Gênesis

Gn

50

Êxodo

Ex

40

Levítico

Lv

27

Números

Nm

36

Deuteronômio

Dt

34

Josué

Js

24

Juízes

Jz

21

Rute

Rt

4

1 Samuel

1 Sm

31

2 Samuel

2 Sm

24

1 Reis

1 Rs

22

2 Reis

2 Rs

25

1 Crônicas

1 Cr

29

2 Crônicas

2 Cr

36

Esdras

Ed

10

Neemias

Ne

13

Ester

Et

10

42

Salmos

Sl

150

Provérbios

Pv

31

Eclesiastes

Ec

12

Cantares

Ct

8

Isaías

Is

66

Jeremias

Jr

52

Lamentações

Lm

5

Ezequiel

Ez

48

Daniel

Dn

12

Oséias

Os

14

Joel

Jl

3

Amós

Am

9

Obadias

Ob

1

Jonas

Jn

4

Miquéias

Mq

7

Naum

Na

3

Habacuque

Hc

3

Sofonias

Sf

3

Ageu

Ag

2

Zacarias

Zc

14

Malaquias

Ml

4

 

Novo Testamento

Livro

Abreviatura

Capítulos

Mateus

Mt

28

Marcos

Mc

16

Lucas

Lc

24

João

Jo

21

Atos dos Apóstolos

At

28

Romanos

Rm

16

1 Coríntios

1 Co

16

2 Coríntios

2 Co

13

Gálatas

Gl

6

Efésios

Ef

6

Filipenses

Fp

4

Colossenses

Cl

4

1 Tessalonicenses

1 Ts

5

2 Tessalonicenses

2 Ts

3

1 Timóteo

1 Tm

6

2 Timóteo

2 Tm

4

Tito

Tt

3

Filemon

Fm

1

Hebreus

Hb

13

Tiago

Tg

5

1 Pedro

1 Pe

5

2 Pedro

2 Pe

3

1 João

1 Jo

5

2 João

2 Jo

1

3 João

3 Jo

1

Judas

Jd

1

Apocalipse

Ap

22

Internautas Cristãos

Pb. João Placoná

sexta-feira, 10 de abril de 2015

O que a Bíblia diz sobre a Fé

fé -

Hebreus 11:1 nos diz que a fé é "a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem."

Talvez nenhum outro componente da vida cristã seja mais importante do que a fé.

Não podemos comprá-la, vendê-la ou dá-la aos nossos amigos. Então, o que é a fé e qual é o seu papel na vida cristã?

O dicionário define a fé como "crença, devoção ou confiança em alguém ou alguma coisa, especialmente sem prova lógica."

Ele também define a fé como "crença e devoção a Deus." A Bíblia tem muito mais a dizer sobre a fé e sua grande importância. Na verdade, ela é tão importante que sem fé não temos lugar com Deus, e é impossível agradá-lo (Hebreus 11:6).

A fé é a crença no único e verdadeiro Deus, sem realmente vê-Lo.
De onde a fé vem? A fé não é algo que podemos criar por conta própria, nem é algo com que nascemos; também não é resultado da diligência no estudo ou busca do espiritual.

Efésios 2:8-9 deixa claro que a fé é um dom de Deus, não porque a merecemos ou por sermos dignos de tê-la ou ganhá-la. Não é de nós mesmos; ela é de Deus.

Não é obtida por nosso poder ou vontade própria, mas simplesmente nos é dada por Deus, juntamente com a Sua graça e misericórdia, de acordo com o Seu santo plano e propósito. Por causa disso, Ele recebe toda a glória.

Por que ter fé? Deus planejou uma maneira de distinguir entre aqueles que pertencem a Ele e aqueles que não pertencem, e isso é chamado de fé.

Simplificando, precisamos de fé para agradar a Deus. Deus nos diz que agrada-lhe quando cremos nEle mesmo quando não podemos vê-lo.

Uma parte fundamental de Hebreus 11:6 é que "Ele se torna galardoador dos que o buscam." Isso não quer dizer que temos fé apenas para obter algo dEle.

No entanto, Deus ama abençoar aqueles que são obedientes e fiéis. Vemos um exemplo perfeito disso em Lucas 7:50. Jesus está tendo um diálogo com uma mulher pecadora quando Ele nos dá um vislumbre da razão pela qual a fé é tão gratificante. "A tua fé te salvou; vai-te em paz."

A mulher teve fé em Jesus Cristo e Ele a recompensou por isso. Por último, a fé é o que nos sustenta até o fim, sabendo pela fé que vamos estar no céu com Deus por toda a eternidade. "…a quem, não havendo visto, amais; no qual, não vendo agora, mas crendo, exultais com alegria indizível e cheia de glória, obtendo o fim da vossa fé: a salvação da vossa alma" (1 Pedro 1:8-9).
Exemplos de fé. Hebreus capítulo 11 é conhecido como o "capítulo da fé" porque nele grandes obras da fé são descritas.

Pela fé Abel ofereceu um sacrifício agradável ao Senhor (v. 4); pela fé Noé preparou a arca em um momento em que a chuva era desconhecida (v. 7); pela fé Abraão saiu de sua casa e obedeceu a ordem de Deus para ir a um lugar que ainda não conhecia e, em seguida, ofereceu voluntariamente o seu único filho (vv. 8-10, 17); pela fé Moisés guiou os filhos de Israel para fora do Egito (vv. 23-29); pela fé Raabe recebeu os espiões de Israel e salvou a sua vida (v. 31).

Muitos outros heróis da fé são mencionados, "os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros" (vv. 33-34). Claramente, a existência da fé é demonstrada pela ação.

A fé é a base do Cristianismo. Sem demonstrar fé e confiança em Deus, não temos lugar com Ele. Acreditamos na existência de Deus pela fé.

A maioria das pessoas têm uma noção vaga e desarticulada de quem é Deus, mas falta a reverência necessária para a Sua posição exaltada em suas vidas.

Essas pessoas não têm a verdadeira fé necessária para ter um relacionamento eterno com o Deus que as ama. A nossa fé às vezes falha, mas porque é o dom de Deus dado a Seus filhos, Ele proporciona momentos de provação e teste a fim de provar que a nossa fé é real e para aguçar e fortalecê-la.

É por isso que Tiago nos diz para considerar motivo de "toda alegria" porque o teste da nossa fé produz perseverança e nos amadurece, fornecendo a prova de que a nossa fé é verdadeira (Tiago 1:2-4).

www.gotquestions.org/Português

Pb. João Placoná

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Reflexões Diárias com Deus

O tema de hoje lhe dará subsídios importantes para um perfeito relacionamento com o Senhor no momento de sua reflexão diária. Geralmente os novos convertidos e, mesmo alguns irmãos já calejados dos bancos das Igrejas têm dificuldades em concatenar suas orações diárias. Nem todos têm a facilidade de organizar suas orações. Para isso, damos a seguir um roteiro eficaz, que com certeza ajudará para que nossas orações sejam ouvidas por Ele, nosso Pai Todo Poderoso.

terça-feira, 31 de março de 2015

Ajoelhou? Reverenciou? Adorou? Idolatrou.

“Prata e ouro são os ídolos deles, obra das mãos de homens” Sl 115:4.

A idolatria é um grave pecado contra Deus. Isso porque Deus é espírito e não pode ser representado por nenhuma imagem de escultura.

Por isso, o segundo mandamento da lei de Deus diz: “Não farás para ti imagem de escultura” Ex 20:4. Aproveite este momento e confira na sua Bíblia se este versículo consta dela, senão, procure explicações...

A palavra “idolatria” significa “prestar culto a um ídolo”.

Tanto aqueles que fabricam o ídolo quanto os que o adoram são culpados desse pecado abominável aos olhos de Deus.

A idolatria é um contrassenso, pois significa adorar aquilo que foi criado pelo próprio homem.

Imagine um homem indo ao campo para cortar uma árvore. Ele usa metade da madeira para acender o fogo e fazer sua refeição, e, com a outra metade, esculpe uma imagem e se prostra diante dela para adorá-la.

Isso é um contrassenso, pois essa imagem tem olhos, mas não vê. Tem boca, mas não fala. Tem nariz, mas não cheira. Tem mãos, mas não apalpa. Tem pés, mas não anda.

A pessoa que fez essa imagem ou aquela que a adora torna-se semelhante a ela, sem entendimento.

O terrível engano da idolatria é substituir o criador pela criatura e adorar a criatura no lugar do criador.

Por isso, os idólatras, ao desprezarem a Deus, provocam sua ira.

A idolatria é obra da carne, e não fruto do Espírito. Os idólatras não entrarão no reido de Deus, a menos que se arrependam de seu pecado e se voltem para Deus.

Gotas de Alegria – HD Lopes

Pb. João Placoná

sábado, 28 de março de 2015

A Igreja Perdida

"Se o altar tem sido um picadeiro, os pastores têm sido palhaços, e os membros têm sido meros espectadores a serem entretidos...".
Infelizmente nos dias atuais está difícil encontrarmos uma boa Igreja onde podemos tranquilamente receber a Palavra. 
Normalmente encontramos pastores pregando mais sobre dízimos e prosperidade do que a verdadeira Palavra de Deus.




quarta-feira, 11 de março de 2015

Decreto e Profecia, tem o crente esse poder?

 

Muitos irmãos, geralmente pentecostais e neopentecostais defendem a confissão positiva e a certeza da prosperidade para aqueles que determinam com fé baseados na passagem de Marcos 11:23-24.

“Em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar; e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, assim lhe será feito. Por isso vos digo que tudo o que pedirdes em oração, crede que o recebereis, e tê-lo-eis”.

Alegam que basta decretar e profetizar com fé e tudo lhes será concedido! 

À primeira vista esse versículo citado até parece estar dizendo que, se crermos, Deus nos atenderá em qualquer pedido que lhe fizermos.

Por outro lado, Paulo pediu a Deus por três vezes que lhe fosse afastado aquele espinho da carne, e Deus recusou (II Coríntios 12:8-9).

Há limitações sobre o que Deus dará, indicadas tanto pelo contexto como por outros textos e pelas leis da própria natureza de Deus e do universo.

Em primeiro lugar, Deus não pode nos dar qualquer coisa. Há coisas que são realmente impossíveis.

Por exemplo, Deus não atenderá ao pedido de uma criatura para ser Deus. Nem pode atender a quem peça que aprove um pecado que tenha cometido. Deus não nos dará uma pedra se lhe pedirmos pão, nem nos dará uma serpente se lhe pedirmos um peixe (Mateus 7:9-10).

Segundo, o contexto da promessa de Jesus em Marcos 11 indica que ela não foi incondicional, pois o versículo seguinte logo diz: "perdoai,... para que vosso Pai vos perdoe... mas, se não perdoares, também vosso Pai... não vos perdoará".

Assim, não há razão para acreditar que Jesus pretendia que tomássemos a sua promessa ao pé da letra, de nos dar "tudo" que pedíssemos, sem condição alguma.

Terceiro, todas as passagens difíceis devem ser interpretadas em harmonia com outras passagens claras das Escrituras. E está claro que Deus não promete, por exemplo, curar todas as pessoas por quem orarmos com fé. Paulo não foi curado, embora tenha orado ardentemente e com fé (II Coríntios 12:8-9).

Jesus ensinou que não foi a falta de fé daquele cego que impediu a sua cura, mas explicou que ele tinha nascido cego "para que se manifestem nele as obras de Deus" (João 9:3).

Apesar da capacidade sobrenatural dada por Deus ao apóstolo Paulo para curar outros (Atos 28:9), aparentemente ele não pôde curar, mais tarde, Epafrodito (Filipenses 2:25) nem Trófimo (II Timóteo 4:20).

Com certeza não foi a falta de fé que trouxe a doença a Jó (Jó 1:1).

Além disso, se a fé do recebedor fosse a condição para que um milagre fosse recebido, então nenhum dos mortos que Jesus ressuscitou teria voltado à vida, pois os mortos não podem crer!

Finalmente, quando se considera o restante das Escrituras, além da fé há muitas condições colocadas na promessa de Deus para a resposta a uma oração.

Temos de "permanecer nele" e permitir que a Sua Palavra permaneça em nós (João 15:7).

Não podemos "pedir mal", segundo o nosso egoísmo (Tiago 4:3).

Além disso, temos de pedir "segundo a sua vontade" (I João 5:14).

Até mesmo Jesus orou: "Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! (Mateus 26:39).

Com efeito, sempre essa condição - "se for da tua vontade" - tem de ser afirmada ou estar implícita, exceto nas promessas incondicionais de Deus.

Porque a oração não é um recurso mediante o qual Deus nos serve. A oração não é um meio pelo qual conseguimos que toda a nossa vontade se faça nos céus, mas um meio pelo qual Deus faz com que a sua vontade se faça na terra.

Por esse motivo, grande pecado e grosseira heresia consiste a ideia de decretar ou profetizar algo, dando a entender que isto seja garantia de concretização miraculosa de algo que se deseja.

Isso não passa de magia esotérica travestida superficialmente de fé cristã. E assim também, não há garantia de prosperidade com base tão somente na oração de quem a pede, pois, como vimos e provamos aqui, é Deus quem decide o resultado final de nossas orações, pois somos nós quem o servimos e não o oposto.

Pr. Reinaldo Ribeiro

Pb. João Placoná