domingo, 4 de dezembro de 2016

Igreja Moderna

Igreja moderna

Já se passou o tempo em que o crente era um personagem conhecido de longe, não só pelo seu andar com a família, com a bíblia em baixo do braço e também pelo seu comportamento, dentro e fora da igreja.

 

Pessoas simples que procuravam se vestir de maneira discreta e geralmente não se misturavam com pessoas do mundão, além é claro, tementes a Deus por excelência.

 

Era comum encontrarmos nos bancos das igrejas o livrinho da harpa cristã contendo letras de músicas que realmente edificavam. Infelizmente, nos últimos 20 anos, houve uma transformação gigantesca e não foi pra melhor.

 

Hoje, a igreja evangélica está numa situação tão escandalosa que o testemunho pessoal já não mais importa. Ter uma conduta irrepreensível, ilibada e devotada é tido como algo obsoleto, uma postura de gente quadrada.

 

O crente moderno gosta de fazer o que o mundano faz: adere aos modismos e à sensualidade visual, gosta de ouvir músicas mundanas, veste-se sem pudor, tem a língua afiada para proferir torpezas, piadas sujas ou para exigir direitos.

 

A liturgia moderna sacraliza danças coreográficas e sensuais dentro da igreja e até mesmo pastores humoristas lotam igrejas e casas de espetáculos, trocando sua "pregação descolada" pela fortuna gerada na bilheteria, pois o que eles receberam de graça, de graça eles não dão.

 

O crente moderno não é mais um adorador - ele agora é cantor gospel.

 

Encontros de louvor são coisas do passado, agora crentes pulam, gritam e entram em êxtase em shows que não deixam nada a dever para o mundo.

 

O crente moderno profetiza e reivindica/determina para si o melhor desta terra, mas não aceita os deveres espirituais, morais e sociais da fé cristã – os quais são a única forma de diferenciar um cristão de um ímpio, interna e externamente.

 

Na verdade, ser evangélico hoje é uma mistura de tendências da moda, hedonismo, ativismo politiquista, crise ética, relativismo moral, sincretismo religioso e de uma rebeldia explícita.

 

A Igreja é um clube. O louvor é um show. O evangelho é uma curtição. “Revelações” são idolatradas. Bíblia, nem pensar.

 

Essa modificação no cenário evangélico reprimiu a influência do Santo Espírito. Não há muitas conversões com constrangimento e compulsão como houve em Atos.

 

Não há mais temor como existe nas Escrituras. O genuíno poder de Deus, seguido de milagres e maravilhas, deu lugar a uma encenação midiática, de feições teatrais flagrantes, cujo único fruto tem sido a perda da credibilidade cristã e o fornecimento de munição para as ideologias racionalistas e agnósticas.

 

Nunca foi tão fácil ser ateu e esse mérito é todo da "igreja moderna".

 

Certa vez um grande estadista brasileiro, Rui Barbosa, disse:

 

 “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”.

 

Eu diria, hoje em dia:

 

“De tanto ver triunfar as heresias nos sermões, de tanto ver prosperar a falta de respeito no púlpito através de danças e rodopios, de tanto ver crescer as promessas milionárias através da teologia da prosperidade e de uma pregação exacerbada dos dízimos e ofertas, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos pastores, bispos, apóstolos, principalmente com revelações e curas, o cristão evangélico chega a desanimar da sua congregação, a rir-se dos antigos corinhos, a ter vergonha de ser cristão e de continuar frequentando a Igreja”.

 

Mas, ainda temos uma boa notícia para propagar aqui. Há muitos joelhos que decididamente não se dobram aos baalins e mamons usurpadores do santuário cristão.

 

Louvamos a Deus por essas vidas e aqui as estimulamos a permanecerem firmes e distantes desse avassalador processo de secularização da Igreja.

 

O trigo conhece o seu papel de santidade no reino. Já o joio assume um compromisso que se limita a programações, decretos apostólicos e visões fajutas.

 

À Noiva de Cristo cabe pregar a Palavra e viver por ela. A maioria dos evangélicos esqueceu esse preceito e por esse motivo também será esquecida no tempo das bodas, infelizmente!

 

Portanto, peça ao Senhor que abra as portas de uma boa igreja onde você poderá receber uma boa Palavra e crescer na fé.

 

Pr. Reinaldo Ribeiro

Pb. João Placoná

 

domingo, 27 de novembro de 2016

Dons e Talentos dados por Deus

dons e talentos

"Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Se alguém tem o dom de profetizar, use-o na proporção da sua fé." (Romanos 12:6)

Jesus contou a história de um homem rico que estava partindo para uma longa viagem. Ele chamou os seus servos e entregou a cada um uma soma em dinheiro. O homem "a um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada um de acordo com a sua capacidade. Em seguida partiu de viagem." (Mateus 25:15).

Na sua ausência, um servo investiu sabiamente e transformou os cinco talentos em dez. O outro de seus dois talentos multiplicou-os para quatro. E o último levou seu único talento e enterrou-o no chão.

Aqui está o que precisamos lembrar: Deus é aquele que distribui tudo. Algumas pessoas vivem vidas longas, outras vivem vidas curtas. Algumas pessoas gozam de muita saúde, outras têm problemas de saúde. Algumas pessoas possuem grandes talentos, outras somente alguns. Mas lidamos com o que nos é dado.

Às vezes pensamos: eu queria ser tão bonita quanto aquela mulher. Ou: quero ser tão inteligente como ele. Ou: gostaria de ser tão talentoso como aquela pessoa. Você tem o que Deus lhe deu. Então, valorize, use e cultive isso.

Tenho visto pessoas com pouca capacidade para realizar um árduo trabalho, porém são diligentes e tornam-se muito bem sucedidas na vida.

Tenho também visto outros que tinham imenso talento, habilidade e recursos financeiros, e acabaram jogando tudo fora.

Portanto, devemos honrar e sabiamente utilizar aquilo que Deus nos deu.
A todos nós foram dados dons e talentos espirituais quando colocamos nossa fé em Cristo.

Mas, qual é a diferença entre um talento e um dom espiritual?

Há semelhanças e diferenças entre talentos e dons espirituais. Os dois são dádivas divinas. Os dois crescem em efetividade com o uso.

Os dois são para ser usados a favor de outras pessoas, não para propósitos egoístas. 1 Coríntios 12:7 diz que os dons espirituais são dados para beneficiar outras pessoas..., não a nós mesmos.

Como os dois maiores mandamentos são para amar a Deus e a outras pessoas, dá-se a entender que talentos devem ser usados para esse propósito. No entanto, talentos e dons espirituais diferem em para quem são dados e quando.

Uma pessoa (independente de sua crença em Deus e Cristo) recebe talento natural como resultado de uma combinação da genética (alguns têm a habilidade natural para música, arte ou matemática) e ambiente (crescendo em uma família musical vai ajudar o desenvolvimento do talento em música), ou simplesmente porque Deus quis favorecer certas pessoas com certos talentos (por exemplo, Bezalel em Êxodo 31:1-6).

Os dons espirituais são dados aos cristãos pelo Espírito Santo (Romanos 12:3,6) no mesmo tempo em que colocam sua fé em Cristo para obter perdão de seus pecados. Naquele momento, o Espírito Santo dá ao novo crente o(s) dom(ns) espirituais que deseja que aquele crente tenha (1 Coríntios 12:11).

Há três listas principais de dons espirituais...
Romanos 12:3-8 nos dá uma lista de dons espirituais: profecia, ministério de servir (em um sentido geral), ensinar, exortar, generosidade, liderança e mostrando misericórdia.

1 Coríntios 12:8-11 faz uma lista dos dons como sendo a palavra da sabedoria (habilidade de comunicar sabedoria espiritual), a palavra do conhecimento (habilidade de comunicar verdade prática), fé (confiança incomum em Deus), operações de milagres, profecia, discernimento de espíritos, línguas (habilidade de falar em uma língua que tal pessoa nunca estudou) e interpretação das línguas.

A terceira lista é encontrada em Efésios 4:10-12, a qual fala de Deus dando à Sua igreja apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres.

Também há a pergunta de quantos dons espirituais existem, já que nenhuma lista é igual a outra. Também é possível que essas listas não sejam completas, que talvez existam dons espirituais adicionais aos que a Bíblia menciona.
O que frequentemente acontece é que alguém desenvolve seus talentos e depois direciona sua profissão ou hobby de acordo com esses talentos, os dons espirituais foram dados pelo Espírito Santo para a edificação da igreja de Cristo.

Com isso, todos os cristãos devem ser ativos em fazer a sua parte na propagação do evangelho de Cristo.

Todos são chamados e equipados para serem envolvidos no "desempenho do seu serviço" (Efésios 4:12).

Todos são dotados para que possam contribuir à causa de Cristo como uma forma de mostrar gratidão por tudo o que Ele tem feito.

Ao fazerem isso, também acharão satisfação na vida através do seu trabalho para Cristo. Os líderes da igreja têm o trabalho de ajudar a edificar os santos para que sejam mais bem equipados para o ministério ao qual Deus os tem chamado.

O que se espera receber dos dons espirituais é que a igreja como um todo possa crescer, assim como ser fortificada e unificada, pelo que cada membro oferece ao Corpo de Cristo.
Para resumir as diferenças entre dons espirituais e talentos:

(1) Um talento é um resultado de genética e/ou treinamento, enquanto que um dom espiritual é o resultado do poder do Espírito Santo.

(2) Qualquer pessoa, cristã ou não, pode possuir certo talento enquanto que apenas os cristãos possuem dons espirituais.

(3) Embora ambos os talentos e dons espirituais devam ser usados para a glória de Deus e para ministrar uns aos outros, os dons espirituais se focalizam nesses serviços apenas, enquanto que os talentos podem ser usados para objetivos completamente não espirituais.

Portanto, alegre-se e contente-se com os talentos que Deus lhe deu, cultive-os e use-os com amor, devoção, caráter e obediência à Palavra.

Pr. Reinaldo Ribeiro

Gotquestions.org/Português

Pb. João Placoná

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Dízimo / Oferta

 

dizimo - oferta

A questão do dízimo gera dificuldade e resistência em muitos cristãos. Em muitas igrejas, o dízimo recebe excessiva ênfase. Ao mesmo tempo, muitos cristãos não se submetem à exortação bíblica em ofertar ao Senhor.

O dízimo e as ofertas deveriam ser uma alegria, uma bênção. Mas raramente é o que acontece nas igrejas hoje, infelizmente.
Dar o dízimo é um conceito do Velho Testamento. O dízimo era exigido pela lei na qual todos os israelitas deveriam dar ao Tabernáculo/Templo 10% de todo o fruto de seu trabalho e de tudo o que criassem (Levítico 27:30; Números 18:26; Deuteronômio 14:22; II Crônicas 31:5; Malaquias 3:8-10).

Alguns entendem o dízimo no Velho Testamento como um método de taxação destinado a prover pelas necessidades dos sacerdotes e Levitas do sistema sacrificial.

O Novo Testamento, em nenhum lugar ordena, e nem mesmo recomenda que os cristãos se submetam a um sistema legalista de dizimar. Paulo afirma que os crentes devem separar uma parte de seus ganhos para sustentar a igreja (I Coríntios 16:1-2).
O Novo Testamento, em lugar algum, determina certa porcentagem de ganhos que deva ser separada, mas apenas diz “conforme a sua prosperidade” (I Coríntios 16:2).

A igreja cristã basicamente tomou esta proporção (10%) do dízimo do Velho Testamento e a incorporou como um “mínimo recomendado” para o ofertar cristão.

Entretanto, os cristãos não deveriam se sentir obrigados a se prender sempre à quantia de 10%. Deveriam sim dar de acordo com suas possibilidades, “conforme sua prosperidade”.

Às vezes, isto significa dar mais do que 10%, às vezes, dar menos que 10%. Tudo depende das possibilidades do cristão e das necessidades da igreja.

Cada cristão deve cuidadosamente orar e buscar a sabedoria vinda de Deus no tocante a sua participação com o dízimo e/ou a quanto deve dar (Tiago 1:5). “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria” (II Coríntios 9:7).

É um grande erro acharmos que podemos comprar as bênçãos de Deus dando dízimos, ofertando ou mesmo sendo obedientes as leis de Deus com o objetivo de extrair de Deus alguma bênção.

Mas é verdade também que Deus abençoa aqueles que obedecem a Sua vontade de coração, que não são avarentos, que abrem as mãos aos necessitados e agem como Ele deseja. Deus sempre abençoa a obediência.

No entanto, essas coisas boas que podemos fazer não podem de forma alguma nos levar a pensar que por conta delas Deus passe a ser um devedor de bênção a nós. Ou seja, achar em nosso coração que podemos fazer algo e isso que fazemos gere em Deus a obrigatoriedade de nos abençoar como desejamos.

Tal pensamento fere completamente o ensino bíblico sobre a graça e a soberania de Deus. Quando fazemos algum bem é sempre porque Deus já nos abençoou e já nos deu forças para fazê-lo.

Muitas pessoas não têm vidas financeiras equilibradas, não porque não são abençoadas por Deus nessa área, mas porque são gastonas, desequilibradas financeiramente, assumem dívidas sem planejamento, são compulsivas nas compras de supérfluos, etc.

Existem também aquelas que colhem uma vida financeira ruim porque não são esforçadas nos seus trabalhos, fogem dos estudos e não buscam as oportunidades com unhas e dentes.

A bênção de Deus de forma nenhuma nos exime da nossa responsabilidade de fazer a nossa parte. Ter uma vida financeira abençoada não depende de Deus simplesmente estalar os dedos e fazer uma mágica. Nós devemos também fazer a nossa parte para buscar a saúde financeira.

Assim, entendemos seja importante que avaliemos com muito temor e tremor o que pode estar acontecendo com nossa vida financeira: somos desequilibrados nos gastos? Ou às vezes ficamos desempregados e as contas acumularam?

Ou sempre ofertamos na obra de Deus esperando algo em troca da parte Dele como se Ele tivesse a obrigação de nos dar? Ou somos muito exigentes e não estamos felizes com aquilo que temos, e que, na realidade, é o suficiente para as nossas necessidades, mas queremos mais?

É muito importante que essa análise seja feita, pois muitas crises financeiras, na realidade, são plantadas por nós mesmos e de forma alguma apontam para um Deus que não está abençoando, antes, apontam para um desequilíbrio, onde podemos ter culpa ou não.

Mas o fato é que Deus nunca deixa de nos abençoar com o necessário quando somos servos fieis a Ele e quando temos um pensamento correto sobre nossa obediência à Sua Palavra.

GotQuestions.org/Português

Pb. André Sanchez

Pb. João Placoná

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

QUANDO DEUS FECHA AS PORTAS

fechando a porta

Não é de hoje que muitos de nós (e porque não dizer a maioria de nós) oramos pedindo que Deus nos abra as “portas” ou as “janelas” dos céus, seja na área profissional, financeira, sentimental ou familiar.

Muitos também fazem propósitos e jejuns para que o Senhor tire todas as amarras e abra as portas em determinada área de sua vida.

Até aí tudo bem, não tenho absolutamente nada contra isso. Mas queria que você prestasse atenção no texto que está no livro de Apocalipse: “Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi, o que abre, e ninguém fecha, e fecha, e ninguém abre.” (Apocalipse 3:7).

Repare bem que o texto diz: Jesus não só tem autoridade e poder para abrir as portas, mas também para FECHAR as portas.

Conheço muitas pessoas que dizem que “Deus só abre as portas” e o diabo só “fecha as portas”, mas isso não é verdade. O Único que tem TODO poder de abrir e fechar as portas é Jesus Cristo!

Preste muita atenção, pois a maioria das portas que se fecham em nossas vidas são fechadas justamente pelo Senhor.

Para muitas pessoas, uma porta fechada pode significar derrota, falta de fé, oração não respondida. Mas creio que seria melhor se as pessoas reavaliassem esse pensamento.

Muitas vezes aquele emprego que tanto queríamos não era da vontade de Deus. Não era o melhor para nossa vida e então Deus fechou a porta porque sabia que isso seria melhor para nós.

Não faz muito tempo um amigo meu me pediu que eu orasse por ele, pois estava surgindo uma oportunidade, segundo ele, para que ele tivesse um salário melhor. O emprego exigiria que ele viajasse a semana toda e poderia muitas vezes exigir que ele ficasse até quinze dias longe de casa. Mas, o salário era excelente.

Duas semanas depois esse amigo me procurou de novo. Ele estava muito aborrecido, pois não tinha conseguido esse emprego. Ele me disse que não entendia por que Deus não tinha “aberto essa porta” para ele.

Sentei com ele e perguntei como estavam as coisas na vida dele com relação aos filhos e a família. Ele me confessou que estava tudo bem com os filhos, mas que ele e a esposa estavam vivendo um momento de crise no casamento.

Então, fiz-lhe algumas perguntas, tipo:

“Como você acha que ficaria o seu casamento se você passasse quinze dias longe da sua esposa?”;

“O que você faria com o tempo livre que teria passando tanto tempo longe de casa, em uma cidade em que ninguém te conhece?”;

“O que faria nas noites livres longe de casa?”.

Ele baixou a cabeça e refletiu bem. Logo em seguida confessou-me que em sua mente ele já tinha “inconscientemente” planejado alguns “bons momentos” longe da esposa.

Não demorou muito tempo para ele perceber que a porta que havia se fechado era para que seu casamento pudesse ser salvo!

Guarde bem isso: uma porta fechada sempre significou segurança.

Por que fechamos a porta da nossa casa, ou do nosso carro? Para que o ladrão não entre em nossa casa e não nos roube.

Assim, muitas vezes Deus fecha determinadas portas em nossas vidas para que o diabo não entre e roube coisas preciosas de nossas vidas, como o nosso caráter, a nossa integridade, etc.

Infelizmente já vi muitos cristãos tendo sérios problemas na vida porque de certa forma “forçaram” portas que Deus havia fechado. Eles sabiam que certas situações não eram da vontade de Deus, mas seu desejo, sua ganância e sua própria vontade fizeram com que com que eles arrombassem portas pelas quais jamais deveriam passar.

Da próxima vez que uma porta se fechar na sua vida, antes de reclamar ou murmurar, ore e pergunte ao Senhor quem foi que fechou essa porta!

Esta mensagem foi feita para você que hoje mesmo estava pensando em desistir por causa dos problemas na sua vida, se sentindo desesperado, sem direção e esperando uma resposta de Deus.

Quantas vezes você foi dormir triste e suas lágrimas escorrendo no seu rosto dizendo que não suporta mais essa situação que parece impossível.

Deixa eu te dizer: Deus sempre esteve do seu lado! Ele permitiu isso na sua vida para te fortalecer, ter mais fé.

Pr. Sérgio Müller

Pb. João Placoná

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Jesus Salva

Jesus salva

JESUS SALVA

Todos nós fomos envolvidos no pecado. O pecado gera toda classe de adversidades e por fim a perdição eterna.

Porém Deus se fez homem, Jesus Cristo foi sacrificado em uma cruz pagando o alto preço por nossos pecados.

Ele ressuscitou porque tem poder sobre a morte, e assim Ele derrotou o diabo, o autor do pecado.

Quando cremos no sacrifício de Jesus a nosso favor e nos arrependemos de nossos pecados ele nos recebe, então os nossos pecados são imediatamente perdoados, e o nosso passado é totalmente esquecido por Deus.

A Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus denomina isto de salvação. – Leia o restante…

R$  3,00  -  Entrega Via-Email

comprar agora

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Não olhe para trás

não olhe para tras

"[...] mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo [...]" (Filipenses 3:13-14)

Se você deseja cumprir a corrida da vida com êxito, o meu conselho é: não olhe para trás.

Quem já participou de uma corrida e olhou por cima do ombro para ver a que distância o seu adversário estava fazendo, sabe que olhar para trás pode quebrar o ritmo, perder a concentração e até mesmo fazer perder a corrida.

Paulo, no mesmo sentido, diz em Filipenses 3:13 "[...] esquecendo-me das coisas que ficaram para trás [...]". Se você estiver caminhando com o Senhor, você deve esquecer as coisas que ficaram para trás.

Neste contexto, a palavra "esquecer" não significa uma falha de memória ou esquecer completamente os tristes episódios de nossa história.

As lições são importantes. É delas que se alicerça a maturidade. Entretanto, essa passagem tem mais o sentido de não sermos influenciados ou afetados pelo passado.

Caminhar é avançar e ninguém avança com os olhos congelados no retrovisor da vida.

Portanto, aqui está o que todos nós precisamos fazer: esquecer as coisas que ficaram para trás.

Ao mesmo tempo em que você pode não ser capaz de apagá-las de sua memória, você precisa não deixar que elas lhe influenciem, lhe abatam, lhe deprimam ou gerem dúvidas em seu coração quanto ao perdão restaurador de Deus.

Satanás é especialista em levantar pessoas que desenterram fatos que Deus perdoou e esqueceu. O Senhor diz: "[...] não me lembrarei mais dos seus pecados" (Jeremias 31:34).

No entanto, esses especialistas em acusação, que sonham com a nossa queda às vezes por dez, vinte anos ou mais, muitas vezes evocam supostos pecados passados, e rasgam as páginas bíblicas do amor restaurador de Cristo.

Em geral, são estes os mesmos que tombam na caminhada e perecem no pó. Nenhum acusador terá parte no reino de Deus.

O diabo deseja muito prejudicar-lhe com o seu passado. "Lembre-se do que você costumava fazer, ele diz. Lembre-se dos pecados que cometeu. Lembre-se das coisas horríveis que você fez".

Paulo deixou o seu passado para trás e seguiu adiante como uma nova pessoa em Cristo.

Você também pode fazer isso. A Bíblia diz: "Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!" 2 Co 5:17.

Você pode pensar: "Eu fiz algumas coisas bem horríveis."

Seja bem-vindo ao clube! Todos nós pecamos. Nós todos somos devedores (ver Rm 3:23).

Mas Deus pode mudar-lhe e tornar-lhe uma pessoa diferente por dentro. É fundamental dizer: "Não olho para trás. Estou avançando como cristão."

A mulher de Ló olhou para trás. Ela foi levada pelos anjos e realmente deixou Sodoma e Gomorra com sua família. Ela estava quase saindo daquele lugar, mas não foi longe o bastante. Ela tinha que olhar para trás pela última vez.

A lição da mulher de Ló é clara: não olhe para trás. Não deixe que isso lhe aconteça.

Se fizer isso, poderá ser prejudicado seriamente por falhas e pecados do seu passado.
Deus quer que você os deixe para trás e comece tudo de novo seguindo Jesus Cristo.

Se Deus perdoou os meus pecados e se esqueceu deles, eu preciso deixá-los para trás, aprender com meus erros sim, não fazer a mesma coisa novamente e seguir em frente.

Renunciar as corrupções do mundo permite que você viva a nova vida em Cristo. Não volte para aquela vida medíocre de satisfazer seus desejos e viver para si mesmo. Deus tem uma vida muito melhor e eterna para você. 

Jesus disse àquela mulher: Nem eu te condeno. Vá e não peques mais. Ele diz o mesmo pra mim e pra você.

Você renunciou e tomou o arado nas mãos? Então, não olhe para trás. Esteja surdo para as vozes da acusação. Esteja atento para a voz do Salvador que te perdoa!

Pr. Reinaldo Ribeiro

Pb. João Placoná

não olhe para tras

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Perseverar é viver!

perseverar e viver

"É na vossa perseverança que confirmais a salvação da vossa alma." (Lc 21:19).

Jesus jamais afirmou que se tivermos sucesso nos nossos estudos, negócios, profissões, casamento, etc., seremos salvos. Ele diz se perseverarmos se formos fiéis, se não negarmos a nossa fé na eficácia da Sua graça, seremos salvos.

O caminho não é fácil, nele teremos aflições, doenças, desgostos, perseguições, mas é preciso ficar firme no nosso posto de salvos pela graça.

Como estamos suportando os espinhos no caminho? Que batalhas estamos perdendo e quantas estamos ganhando?

Não interessa perder algumas batalhas, o que é preciso é ganhar a guerra, perseverando e lutando com as armas da fé, que não são as boas obras e nem os méritos humanos, mas a oração e a espada do Espírito.

Provavelmente em muitos momentos de nossa frágil caminhada cristã nossa mente tenha sido assaltada pela vontade de deixar tudo para trás e abandonar o que construímos e cremos.

Impulsos promovidos pelo pecado e pela teimosa humanidade que invade os pensamentos e os dias de homens e mulheres sujeitos ao desânimo e a apatia.

Sabedor desta condição humana é que Jesus fala aos seus discípulos. Sua palavra é fortalecedora. Sem rodeios e com tamanha objetividade, Ele nos convida à perseverança.

Somente na permanência haverá salvação. Sem retrocessos ou constantes recaídas, somos incentivados pelo Espírito a permanecer, quando muitos já desistiram; a acreditar, quando tantos entregaram os pontos e ficaram no meio do caminho.

É preciso fé, mas também é preciso força, "garra", para nos agarrarmos até ao fim à Rocha da vida - JESUS.

Pr. Reinaldo Ribeiro

Pb. João Placoná