quinta-feira, 16 de março de 2017

Parábolas da Bíblia Sagrada

parábolas

O uso de parábolas pode servir tanto para facilitar o entendimento de uma mensagem, quanto para ocultar o seu real significado.

As parábolas são histórias fictícias que se caracterizam por serem de certa forma curtas e objetivas.

Podemos dizer também que parábolas são pequenas narrativas que usam alegorias para transmitir lições éticas, morais e religiosas.

Elas possuem simbolismos, e os elementos principais da história tem significados específicos. Possuem também o objetivo de transmitir ensinos e normalmente o fazem por meio de comparações, da explanação de fatos reais e de elementos comuns à época em que foram escritas.

Os ensinos transmitidos são os mais variados; mas, normalmente, vemos ensinos ligados à moral e virtudes, à sabedoria e também à religião e doutrinas bíblicas.

Há quarenta e duas parábolas na Escritura Sagrada, sendo duas no Antigo Testamento e quarenta no Novo Testamento.

Essa foi uma das formas mais utilizadas por Jesus para ensinar verdades sobre o Reino de Deus.

Para facilitar a leitura das parábolas mencionadas, damos abaixo os links que levarão você às passagens bíblicas correspondentes.

ANTIGO TESTAMENTO

A Ovelha - 2 Samuel 12:1-4

O Vinhedo - Isaias 5:1-7

NOVO TESTAMENTO

O bom Samaritano - Lucas 10:30-37

A Ovelha Perdida - Lucas 15:4-7

A moeda perdida - Lucas 15:8-10

O filho pródigo - Lucas 15:11-32

O Administrador desonesto - Lucas 16:1-8

O Homem rico e Lázaro - Lucas 16:19-31

Os Servos - Lucas 17:7-10

A Viúva e o Juiz - Lucas 18:2-5

Os Talentos - Lucas 19:12-27

Os Lavradores maus - Lucas 20:9-16

A Roupa Nova - Lucas 5:36

O Vinho Novo - Lucas 5:37-38

Os dois alicerces - Lucas 6:47-49

Os dois devedores - Lucas 7:41-43

O Semeador - Lucas 8:5-8

A Lamparina - Lucas 8:16-18

Os empregados alertas - Lucas 12:35-40

O amigo persistente - Lucas 11:5-8

O rico sem juízo - Lucas 12:16-21

O empregado fiel - Lucas 12:42-48

A figueira sem figos - Lucas 13:6-9

A figueira sem folhas - Lucas 21:29-31

A Semente de mostarda - Lucas 13:18-19

O Fermento - Lucas 13:20-21

Os convidados do casamento - Lucas 14:7-14

A grande festa - Lucas 14:15-24

A construção duma torre - Lucas 14:28-33

O Fariseu e o Publicano - Lucas 18:10-14

O retorno do proprietário - Marcos 12:1-9

A semente que cresce - Marcos 4:26-29

O Joio - Mateus 13:24-30

O Tesouro escondido - Mateus 13:44

A Pérola - Mateus 13:45-46

A rede - Mateus 13:47-48

O empregado mal - Mateus 18:23-24

Os trabalhadores no vinhedo - Mateus 20:1-16

Os dois filhos - Mateus 21:28-31

A festa de casamento - Mateus 22:2-14

As dez virgens - Mateus 25:1-13

As ovelhas e as cabras - Mateus 25:31-36

Internautas Cristãos.com

Pb. João Placoná

terça-feira, 14 de março de 2017

Por que Deus permite que passemos por provações e tribulações?

tribulacao

Uma das partes mais difíceis da vida cristã é o fato de que se tornar um discípulo de Cristo não nos torna imunes a provações e tribulações da vida.

Por que um Deus bom e amoroso permite que passemos por coisas como a morte de uma criança, doenças e ferimentos a nós mesmos e nossos entes queridos, dificuldades financeiras, preocupação e medo?

Certamente, se Ele nos amasse, Ele tiraria todas essas coisas de nossas vidas.

Afinal, amar não significa que Ele quer que nossas vidas sejam fáceis e confortáveis?

Na verdade, não, não significa. A Bíblia ensina claramente que Deus ama aqueles que são Seus filhos, e que todas as coisas "cooperam para o bem daqueles que amam a Deus" (Romanos 8:28).

Então, isso deve significar que as provações e tribulações que Ele permite em nossas vidas fazem parte de tudo que coopera para o nosso bem.

Portanto, para o crente, todas as provações e tribulações devem ter um propósito divino.

Como em todas as coisas, o propósito final de Deus para nós é crescer mais e mais à imagem de Seu Filho (Romanos 8:29).

Este é o objetivo do cristão, e tudo na vida, incluindo as provações e tribulações, foi concebido para nos permitir alcançar esse objetivo. Ser separado para os propósitos de Deus e equipado para viver para a Sua glória faz parte do processo de santificação.

A maneira em que tribulações alcançam este objetivo é explicada em 1 Pedro 1:6-7: "Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo".

A verdadeira fé do crente será confirmada pelas provações que sofremos para que possamos descansar na certeza de que essa fé é real e vai durar para sempre.

As provações desenvolvem em nós um caráter piedoso, e isso nos permite a gloriar "nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado" (Romanos 5:3-5).

Jesus Cristo deu o exemplo perfeito. "Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores"(Romanos 5:8).

Estes versículos revelam aspectos do Seu propósito divino tanto para as provações e tribulações de Jesus Cristo quanto as nossas.

Perseverar prova a nossa fé. "Tudo posso naquele que me fortalece" (Filipenses 4:13).

No entanto, devemos ter cuidado para não tentar usar desculpas para as nossas "provações e tribulações" se forem o resultado de nossos erros. "Não sofra, porém, nenhum de vós como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócios de outrem" (1 Pedro 4:15).

Deus perdoa os nossos pecados porque a punição eterna para eles foi paga pelo sacrifício de Cristo na cruz. No entanto, ainda temos que sofrer as consequências naturais nesta vida por nossos pecados e más escolhas.

No entanto, Deus usa até mesmo esses sofrimentos para nos moldar e conformar com os Seus propósitos e nosso bem supremo.

As provações e tribulações vêm tanto com um propósito quanto uma recompensa. "Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam" (Tiago 1:2-4,12).

Através de todas as provações e tribulações da vida, temos a vitória. "Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo." Apesar de estarmos em uma batalha espiritual, Satanás não tem autoridade nenhuma sobre o crente em Cristo. Deus nos deu a Sua Palavra para nos guiar, o Seu Espírito Santo para nos capacitar e o privilégio de podermos nos aproximar dEle em qualquer lugar, a qualquer momento, para orar sobre qualquer coisa. Ele também nos assegurou que nenhuma tribulação nos testará além da nossa capacidade de suportá-la, e que "juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar" (1 Coríntios 10:13).

GotQuestions.org/Portugues

Pb. João Placoná

sábado, 4 de março de 2017

A Terra Prometida

a terra prometida

À exemplo dos 10 Mandamentos, a novela A Terra Prometida está encantando multidões... Católicos, Protestantes, Ateus, Testemunhas de Jeová, Espíritas, etc.etc., não cansam de vê-la e comentarem.

Muitos a criticam, pois alegam que ela cita nomes de personagens que não estão na Bíblia Sagrada. Aruna, Samara, por exemplo.

Outros alegam que determinadas cenas também não são contempladas pela Bíblia Sagrada.

Evidentemente, os autores não poderiam narrar e expor apenas o que está na Bíblia Sagrada, pois, assim o fazendo não seria uma novela. Uma novela carece de ficção e não apenas de relatos verídicos.

As partes citadas na Bíblia são destacadas em alguns capítulos e com a Bíblia na mão poderemos comprovar a sua veracidade.

Quanto aos romances e personagens extras, estes são necessários mesmo porque a Bíblia é um Livro muito enxuto, resumido e, se não tivermos um pouco de ficção a novela não existiria.

Praticamente toda a novela é feita de arranjos e conjecturas, somente o esqueleto principal é bíblico o resto é tudo ficção, inclusive certos personagens.

A novela A Terra Prometida de qualquer modo está evangelizando milhares de pessoas ao conhecimento do poder de Deus. A novela está servindo, e muito, para vivificar a Fé de quem a assiste.

O que importa é a histórica saída do Egito e a conquista da Terra de Canaã, mostrando assim o grande amor e o poder de Deus com aqueles que o obedecem.

É óbvio que a novela possui trechos que não estão na Bíblia; mas o fato de não estarem na bíblia não significa que não possam ter existido!

Se levarmos a ferro e a fogo, então teremos que discordar das cores das roupas, por exemplo, porque na Bíblia não diz a cor da túnica de Josué! E aí?

O que não pode ocorrer (e não ocorre) são fatos que a Bíblia fala e serem invertidos! Exemplo: os autores não poderiam trocar o nome de Raabe para Rute!

O que importa é o fato ocorrido, que a novela narra com excelência e as mensagens de fé que transmitem, são demais!!!

Creio que muitas pessoas estão revendo sua fé por causa da novela e é isso que importa.

Você que me lê já está na Terra Prometida, portanto, fique tranquilo, o nosso Deus, o mesmo de Josué está conosco, nos dirigindo até a vida eterna.

Fique com Deus!

Pb. João Placoná

sexta-feira, 3 de março de 2017

Devo Jejuar?

jejum

A Escritura não ordena que os cristãos jejuem. Não é algo que Deus peça ou exija dos cristãos.

Ao mesmo tempo, a Bíblia apresenta o jejum como algo bom, lucrativo e esperado.

O Livro de Atos registra os crentes jejuando antes de tomarem importantes decisões (Atos 13:3; 14:23).

Jejum e oração frequentemente andam juntos (Lucas 2:37; 5:33). Muito frequentemente, o foco do jejum é a falta de comida. Mas ao invés disto, o propósito do jejum deveria ser desviar seus olhos das coisas deste mundo, e então direcionar sua mente a Deus. Jejuar é uma maneira de demonstrar a Deus e a você mesmo que você leva a sério seu relacionamento com Ele.

Jejuar ajuda você a ganhar nova perspectiva e uma renovada confiança em Deus.

Apesar de o jejum nas Escrituras estar quase sempre relacionado à comida, há outras maneiras de jejuar. Tudo que você pode abrir mão temporariamente para que melhor se concentre em Deus pode ser considerado um jejum (I Coríntios 7:1-5).

O jejum deve ser limitado a um determinado período de tempo, principalmente quando o jejum é de alimento. Longos períodos sem comer fazem mal ao corpo.

O jejum não é para punir a carne, mas para que se concentre em Deus. O jejum também não deve ser considerado como um “método de dieta”.

Não jejue para perder peso, mas para ter um relacionamento mais profundo com Deus.

Sim, todos podem jejuar. Alguns podem não conseguir jejuar de comida (os diabéticos, por exemplo), mas todos podem, temporariamente, abrir mão de algo para se concentrar em Deus.

Desviando nossos olhos das coisas deste mundo, podemos melhor voltá-los para Cristo. Jejuar não é uma maneira de conseguir de Deus o que queremos.

O jejum muda a nós, não a Deus. Jejuar não é uma maneira de parecermos mais espirituais do que os outros.

Jejuar é algo a ser feito em espírito de humildade e atitude alegre. Mateus 6:16-18 declara: “E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.”

GotQuestions.org/Português

Pb. João Placoná

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Caçando tesouros

caça ao tesouro

Se decidíssemos investir 15 minutos por dia procurando tesouros na Bíblia, o que acharíamos?

Salomão escreveu “Se buscares a sabedoria como a prata, e como a tesouros escondidos a procurares; então, entenderás o temor do Senhor e acharás o conhecimento de Deus. Então entenderás a retidão, a justiça, a equidade e todas as boas veredas”. Pv 2:4,5,9

Evidentemente que o crescimento não acontecerá de uma hora para outra, mas dia a dia, gradualmente.

Seremos transformados pela leitura da Palavra de Deus e pela obediência a Ele. E imagine o privilégio e o prazer de passar um tempo com o nosso Pai celestial!

Começamos por um compromisso voluntário, em seguida passamos a descobertas empolgantes, e somos conduzidos aos tesouros de sabedoria e vida.

Busque os tesouros divinos nas Escrituras diligentemente, como os mineiros cavam as minas, e eles certamente enriquecerão a sua alma.

A Bíblia é como uma mina de ouro, onde descobrimos tesouros inesgotáveis.

A Bíblia não nos foi dada para aumentar nosso conhecimento, mas para mudar nossa vida.

Ao abrir a sua Bíblia, peça ao Seu autor para abrir o seu coração.

Como uma bússola, a Bíblia sempre nos orienta à direção correta.

Bíblia bem lida, alma bem nutrida.

A Palavra de Deus é uma rica fonte de tesouros divinos esperando por ser descobertos.

Pão Diário

Pb. João Placoná

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Praticando um destes pecados estarei perdido eternamente?

ceu ou inferno

Como alguém poderá ser salvo eternamente se esta passagem de Apocalipse diz claramente que "ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os que se prostituem, os homicidas, os idólatras e qualquer que ama e comete a mentira”? (Ap 22:15).

Sim, a passagem afirma assim e nem poderia ser diferente, pois na presença de Deus não pode entrar pecado.

Todos os que chegarem à presença de Cristo no céu terão sido antes perfeitamente perdoados ainda em vida aqui na terra.

Mas, lembre-se de que tanto Pedro, nos evangelhos, quanto João, em Apocalipse cometeram pecado de idolatria quando se prostraram diante de um anjo, e a passagem da pena do próprio João diz que não entrarão os idólatras.

Seriam eles idólatras de carteirinha? Não, eles apenas escorregaram nesse pecado. O processo é este descrito por Paulo:

"Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus. Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma." (1 Co 6:9-12).

Isto quer dizer que um crente verdadeiro jamais irá pecar em uma dessas modalidades?

Não, é esta a questão aqui, porque o crente está sujeito a cair em qualquer um desses pecados. Mas ele já foi lavado, santificado, justificado, o que equivale dizer que já não são essas coisas que o caracterizam, mas a vida nova que agora tem em Cristo.

Uma porca transformada em ovelha não vai querer sujar sua lã, mas pode eventualmente escorregar e cair na lama.

Se isso acontecer sua natureza é a de querer sair logo da lama e vai se sentir péssima enquanto não sair. Porém a porca que não foi transformada em ovelha cai na lama e adora ficar ali. É da sua natureza chafurdar-se na lama.

Um homem de bem pode dar um soco em outro na hora da raiva, mas ele não é um pugilista, ele é um homem de bem. Já o pugilista é reconhecido como tal por viver distribuindo socos na cara das pessoas.

Eu já dei remédios para meus filhos por minha conta, e também já ajudei em parto, mas não sou médico e nem parteiro.

O fato de eu ter praticado algo não me caracteriza como alguém que tem naquilo a sua prática normal e diária.

Um salvo que comete um pecado de furto, por exemplo, perderá sua comunhão com o Pai, mas não sua salvação.

Ele terá de confessar seu pecado e poderá desfrutar do perdão que já lhe foi garantido, como ensinam os primeiros dois capítulos de 1 João.

Então é possível alguém, que tenha sido lavado, santificado, justificado, venha a cometer alguns dos pecados das passagens citadas?

Sim, é perfeitamente possível, embora seja altamente condenável. Porque se um salvo por Cristo disser que não peca então já está pecando por mentir.

"Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós... Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo... Filhinhos, escrevo-vos, porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados." (1 Jo 1:8-10; 2:1-2, 12)

Mario Persona

Pb. João Placoná

domingo, 29 de janeiro de 2017

A partir de que momento o pecador está salvo para sempre?

vida eterna

A resposta simples e direta é que o pecador está salvo para sempre a partir do momento em que creu em Jesus, mas este pequeno questionário pode servir de exercício para você mesmo chegar a esta conclusão.

Primeiro, em que momento a pessoa TEM a vida eterna?

Em que momento ela deixou de estar sujeita ao juízo?

Em que momento ela PASSOU da morte para a vida?

Analise os tempos dos verbos das palavras do próprio Jesus e você saberá responder.

Ele disse: "Em verdade, em verdade vos digo: quem OUVE a minha palavra e CRÊ naquele que me enviou TEM a vida eterna, NÃO ENTRA em juízo, mas PASSOU da morte para a vida." (Jo 5:24).

Segundo, quando é que o Espírito Santo vem habitar no crente?

Paulo escreveu aos efésios, que já eram salvos por sua fé em Jesus e na obra consumada no calvário, explicando que "Cristo, em quem também vós ESTAIS, DEPOIS que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também CRIDO, FOSTES SELADOS com o Santo Espírito da promessa" (Ef 1:13).

Terceiro, quando é que um verdadeiro crente poderia perder o Espírito Santo, que veio habitar no salvo conforme o versículo anterior?

"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja PARA SEMPRE convosco" (Jo 14:16).

Também Jesus afirma: " E dou-lhes a vida eterna, e NUNCA hão de perecer, e NINGUÉM as arrebatará da minha mão...  E todo aquele que vive, e crê em mim, NUNCA morrerá. " (Jo 10:28; 11:26).

Como você já deve ter deduzido deste pequeno questionário e das respostas claras das Escrituras, o pecador é salvo quando crê em Cristo como seu Salvador, recebe o Espírito Santo como conseqüência de ter crido no Salvador, sendo esse mesmo Espírito o Selo prometido pelo Senhor, e nunca irá perder esse Selo, já que Jesus prometeu que ele estaria "para sempre" com os seus.

"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre" (Jo 14:16).

Mario Persona

Pb. João Placoná