terça-feira, 17 de julho de 2018

Como vencer a falta de perdão


perdão

Em nosso artigo anterior, Oro, oro e não recebo. O que acontece? - tivemos a oportunidade de desenvolver os motivos pelos quais nossas orações não são atendidas. Isto porque há bloqueios espirituais que impedem a ação do Espírito Santo, e o que provoca tudo isso é a falta de perdão, são as mágoas, as iras, a inveja.

Para vencer a falta de perdão você deve fazer disso uma declaração de fé pessoal.

Quando você declara o que Deus diz sobre este assunto vital, você possui o que Deus providenciou para você: a capacidade divina de perdoar a todos.

1. Se eu perdoar aos homens suas transgressões contra mim, meu Pai celestial também me perdoará as minhas transgressões contra ele (Mateus 6:14).

Mas se eu não perdoar aos homens as suas transgressões contra mim, consequências muito mais sérias do que imagino terei de enfrentar: "Tão pouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas" (Mateus 6:15).

2. Se abrigo falta de perdão em meu coração para com os outros, apesar dos erros que praticaram contra mim, abro o meu coração para permitir que sete outros espíritos mais perversos do que a falta de perdão entrem nele (Lucas 11:26).

Eis aqui sete outros espíritos que são parentes da falta de perdão, mas são ainda mais perversos:

1 - Ressentimento

2 - Má-vontade

3 - Rancor

4 - Malícia

5 - Vingança

6 - Amargura

7 - Ódio

3. Quando examino esta lista de sete outros espíritos mais perversos do que a falta de perdão, percebo que são progressivamente degradantes.

Como posso ser libertado da falta de perdão?

Como posso resistir a estes espíritos maus em nome de Jesus, para que me deixem? "Sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo vos perdoou" (Efésios 4:32).

A benignidade é um fruto do Espírito, que, ao lado da compaixão, capacita-me a perdoar a todos os que me fizeram mal, como Deus me perdoou por amor a Cristo.

4. Se eu tenho um desentendimento com alguém, devo perdoá-lo. Como Cristo me perdoou, eu também perdoo aos outros (Colossenses 3:13).

A Palavra de Deus é tão prática e poderosa: mostra-me o que fazer mesmo quando me envolvo numa briguinha insignificante.

5. A capacidade divina em mim de perdoar os outros é sem limites.

Jesus ordenou que eu perdoasse até "setenta vezes sete", dando a entender que possuo, não uma capacidade natural, mas sobrenatural, para perdoar os outros.

6. Os maiores problemas que enfrento na vida talvez estejam relacionados com pessoas.

Vivo num mundo em que a comunicação pode ser interrompida; a comunhão cortada; a perseguição e a oposição podem constituir a minha porção. Mas eu conheço o segredo. Tenho a capacidade de amar com o amor de Deus. Seu amor me capacitará a ver os outros através dos olhos da compaixão e do terno amor.

7. Eu me recuso a falar com falta de delicadeza àqueles que me fizeram mal.

Deus me capacita a perdoar e esquecer. "Sete outros espíritos" podem muitas vezes procurar entrar em minha vida, mas eu lhes resisto firmemente em nome de Jesus!

Alguns dizem: — Eu perdoo os outros contanto que me peçam perdão —. Quer peçam perdão ou não, no fundo do meu coração, eu perdoo e coloco todas as ofensas sob o Sangue de Jesus.

Na pessoa de Jesus eu perdoo os outros. Pelo poder libertador do Sangue de Jesus, fico livre dos "sete outros espíritos".

Pr. Don Gossett

Pb. João Placoná